Antes das Cinco Luma Nunes, Autor em Antes das Cinco - Página 2 de 22
Menu

Oi pessoal! Minha alegria está láááááá no alto, tudo isso por causa do presente mais lindo, maravilhoso, útil e desejável que eu ganhei esse final de semana. Sim, meus caros, eu ganhei um planner. Do jeitinho que eu queria, da cor que eu sonhei hahaha. Deixando o papo de lado, vamos exibir essa belezura:

O planner vem em uma caixinha super fofa, até tirei uma foto mas ficou cagada ruim, vou ver se posto lá no final… Eu já decidi que não vou guardá-lo nessa caixinha, mesmo porque levo 24 horas comigo na bolsa. Nela pretendo guardar meus adesivos, washi tapes, canetas… O meu é esse azul-esverdeado (?) verde-azulado (?) maravilhoso, mas a marca disponibiliza em outras três cores: amarelo, lilás e rosa.

O elástico é peça essencial pra mim, pra manter tudo no lugar, principalmente porque levo muita coisa na bolsa, se ficasse aberto, estragaria rapidinho.

 

Logo que abrimos o planner demos de cara com uma régua e sticky notes. Gente, que sacada sensacional a régua, porque eu, pelo menos, uso bastante e ficou super prático desse jeito. Os sticky notes são lindos e coloridos, amei os formatos. Quando eu testar a colinha dele, venho contar pra vocês, mas tenho produtos similares a esse e fixam muito bem.

 

Outra coisa bacanuda é esse bolsinho. Dá pra eu colocar meu adesivos, por exemplo ♥

 

ADESIVOS! Duas folhas cheinhas de adesivos (a de cacto e a que tem carinhas, estrelinhas, coraçãozinhos…) Amei todos.

 

Veio também esse caderninho extra que a principio eu ia usar pra planejar umas coisas do blog, mas depois vi que ele é curtinho… Acho que vou usar pra anotar quotes de livros.

 

O planner vem com 4 divisórias no topo e 12 na lateral. As da lateral vem com frases inspiradoras escritas com tinta prata <3

 

As folhas são sem dúvida nenhuma a minha parte favorita. Tem folha pautada, sem pauta branca e colorida, quadriculada e pontada. Pra quem faz Bullet Journal sabe que isso é um sonho, mas vou deixar pra me aprofundar mais nessa questão na série de posts que estou planejando fazer.

A caixinha e a famigerada foto

 

BASIC PLANNER MAXI

Dimensões:
125 x 200 mm

Características:

Caixa em capa dura
Ferragem com 4 argolas
Régua com sticky notes
Folha de adesivos
4 Separadores com abas superiores
12 Separadores com abas laterais
30 folhas pautadas
10 folhas quadriculadas
10 folhas pontilhadas
10 folhas em branco
20 folhas coloridas
Caderno anexo com grampo ômega
Fechamento com elástico
Ganhe um ROLL NOTES como cortesia!

* Miolo para agenda somente em refil! 

Refis disponíveis:
BASIC Refil Planner Maxi Cor – 20 folhas – 5 cores (sem impressão)
BASIC Refil Planner Maxi AG 2018 – 84 folhas – Agenda de Junho/17 até Dezembro/2018
BASIC Refil Planner Maxi AG P – 54 folhas – Agenda Permanente – Não datado
BASIC Refil Planner Maxi Pautado – 30 folhas
BASIC Refil Planner Maxi em Branco – 30 folhas
BASIC Refil Planner Maxi Pontilhado – 30 folhas
BASIC Refil Planner Maxi Quadriculado – 30 folhas

 

Para comprar:

Palmas

Leitura Capim Dourado Shopping

Insta Leitura

Face Leitura

 

Ótima

Site

Insta Ótima

Face Ótima 

 

Planner linha basic

Agenda sem data <3

ATUALIZAÇÃO: Mostrei o planner da linha Gold&Kraft aqui

Eu não tenho mesmo palavras para agradecer (mais uma vez) o pessoal da Ótima, pelas sacadas geniais, pelo carinho, parceria e cuidado. Thiago, tu é demais! Muito obrigada mesmo! :*

Espero que vocês tenham gostado e fiquem de olho porque em breve voltarei dando dicas e tirando todas as dúvidas sobre o Bullet Journal.

Beijos e até a próxima!

ATENÇÃO: Estou repostando o livro Vinho de Cereja com algumas alterações (inclusive no título), não deixe de dar sua opinião nos comentários!

Como Você Se Sentiria?

Por Luma Nunes

Capítulo Um
O Grande Começo

O céu cinza é a comprovação final de que as férias acabaram. Eu costumava amar quando o dia amanhecia fechado, meu pai me mandava calçar botas e andávamos quilômetros e mais quilômetros, ele fotografando pássaros e eu olhando tudo bem de pertinho. Quando nos mudamos para a cidade, há dois anos, desenvolvi um amor maior pelos dias ensolarados, talvez porque eles sejam raros por aqui. Dias nublados no campo são para contemplação, na cidade só servem para dar preguiça de se levantar antes de enfrentar o dia.

Em Green Park o clima não segue as estações como no resto dos Estados Unidos, essa cidade espremida entre New York City e Connecticut é esquecida até mesmo pelos meteorologistas. Juro que na previsão do jornal de ontem à noite, a garota do tempo prometeu um dia ensolarado para a região. Bem, não é a primeira vez que ela erra feio.

Me afasto da janela e vou até o banheiro onde deixo minha calça de moletom embolada no canto e me espremo em um jeans justo demais.  Na pia, o presente que minha mãe me deu de natal continua intocado. Suspiro e abro a bolsinha holográfica cheia com os últimos lançamentos de uma famosa marca de maquiagens. Leio alguns rótulos antes de jogar tudo de volta na bolsinha. Minha mãe não me conhece, mas age como se conhecesse, ela me presenteia com tudo o que me sugere comprar e eu nego. Ela só está tentando se conectar comigo, imagino que deve ser horrível ter uma única filha que não corresponde com suas expectativas. Resgato o rímel da bolsinha e o posiciono em meus cílios, lacrimejando bastante no processo, pois lembro que no final de semana fomos ao cinema por sugestão minha e ela não reclamou de nada, nem quando escolhi um cult francês – que eu sei que ela acabou não entendendo nada, nem quando jantamos em uma hamburgueria, quando ela preferiria uma salada.

A relação com minha mãe é tranquila, mas cheia de concessões, tentamos ao máximo ter coisas em comum, mas parece que quanto mais tentamos, mas estranho fica e o fato de eu ser a cópia fiel do meu pai, não ajuda em nada.

Enrolo meu cachecol no pescoço e desço as escadas para encontrar os dois na cozinha.

– Bom dia! Como estou? – brinco fazendo uma pose exagerada em frente à mesa.

– Espetacular, Giovana! – meu pai diz baixando o jornal com um sorriso orgulhoso.

Minha mãe coloca a cesta de pães na mesa e me beija em ambas as bochechas.

– Que tal um batom? – sugere.

– Rímel – explico apontando meus olhos.

Ela faz uma careta, mas tenho quase certeza de que pensa que é um sorriso.

– Ei pai, mandei uma mensagem para o Joe e ele disse que posso buscar a moto hoje à tarde. Pode pegar pra mim?

– Pelo amor de Deus, Joseph – minha mãe reclama enquanto serve um copo de suco de laranja pra mim.

Meu pai lhe dá um olhar reprovador antes de se virar para mim, concordando.

– Eu posso ter pelo menos a esperança de que o Matt vem buscá-la hoje ou…

O som estridente de uma buzina corta a fala da minha mãe.

– É a Bea – digo aliviada por minha amiga me poupar do que deveria ser uma longa e repetitiva conversa. – Vejo vocês mais tarde, tá?

Corro até a porta, mas sou parada pelo meu pai antes de tocar na maçaneta.

– Baby girl, eu vou buscar sua moto, mas quero que me prometa que será cuidadosa. Lori está uma fera comigo e provavelmente não vamos dividir a cama hoje.

– Uooou. Muita informação – digo olhando para seu rosto jovial. – E é muito bom saber que você genuinamente se preocupa comigo e que isso não tem nada a ver como você… e a mamãe… fazendo… coisas?

Ele gargalha.

– É claro que me importo, afinal de contas você é a minha filha favorita.

Reviro os olhos.

– Eu sou filha única.

Ele dá os ombros.

– É a minha melhor amiga também.

– Pai… – vou até ele e o abraço. – Eu também te amo e prometo que serei cuidadosa.

Meu pai estuda meu rosto. Nossa semelhança vai além da personalidade, temos os mesmos olhos castanhos e os cabelos deles hoje estão cinzas, mas já foram castanhos como os meus.

– Dá um tempo pra sua mãe, OK? Ainda é difícil pra ela ver a filhinha saindo do ninho.

– Eu tenho dezoito anos, pai e já faz dois anos que estamos na cidade. Eu não sou mais aquela garotinha que foi educada em casa.

Bea buzina de novo.

– Preciso ir, alguém está apressada hoje – digo finalmente virando a maçaneta. – Pai? La cocina de tu nona… É o restaurante favorito da mamãe. Ela perdoaria qualquer coisa – abro um sorriso e dou uma piscadinha antes de sair de casa.

Atravesso o jardim enrolando ainda mais o cachecol o pescoço e franzindo o nariz reprovando esse maldito tempo.

– Obrigada Deus, pelo aquecedor do seu carro – digo assim que bato a porta – e bom dia!

– Ei! – Bea me cumprimenta arrumando o retrovisor que ela havia ajustado para passar batom.

– O que há de errado com esse tempo? Aposto que minhas bochechas estão vermelhas – continuo resmungando.

– Uau, alguém está de mau humor! Sim, suas bochechas estão vermelhas de um jeito muito fofo e combinável com suas sardas – ela diz dando partida no carro, invadindo um pouco a calçada ao sair. – Deus, devia ser proibido ser tão adorável assim. Ei, olha só isso – ela diz se inclinando para pegar um papel amassado debaixo do banco.

Tento alisá-lo um pouco, mas continua tão cheio de vincos quanto antes. Leio o anúncio de um duplex, próximo ao campus com dois quartos e preço acessível.

Bea é minha melhor amiga da vida, ela morava há alguns quilômetros do chalé dos meus pais e desde pequenas falávamos que ela ia ser cantora e eu médica e que moraríamos na mesma casa com nossos maridos gêmeos.

Alguns desses planos não vão se concretizar, ela estuda jornalismo e eu publicidade e ainda não encontramos gêmeos que nos queiram – exceto Kevin e Nick quanto tínhamos treze anos e descobrimos que namorar gêmeos não era uma ideia tão boa assim. Mas morar juntas? Isso com certeza podemos fazer.

– Parece bom – digo enfiando o papel dentro da mochila.

– Ótimo. Combinei de ir dar uma olhada depois da aula.

Antes de seguir para o campus, Bea estaciona no Café Magnólia, desço do carro e no momento em que passo pelas portas de vidro, sinto o calor agradável que vem de dentro. Costumo vir aqui às segundas, quartas e sextas para estudar porque o calor, o cheiro e as conversas baixinhas ao redor fazem maravilhas para a minha concentração.

O lugar foi reformado a pouco tempo, de modo que o cheiro de tinta fresca se mistura ao aroma de café e pão assado. Verifico o relógio, estranhando o movimento sossegado e vejo que estou bem adiantada.

– Ei Romeo! – cumprimento meu atendente favorito que por acaso é o proprietário.

– Giovana! – ele diz limpando as mãos no avental. – Preciso dizer que aquele lugar ali – diz apontando para a mesinha do canto próximo a janela onde costumo me sentar. – Fica incrivelmente sem graça sem você sentada lá.

– Awn, senti saudade de vocês também. Cadê a Maggie?

Seu rosto se ilumina apenas com a menção do nome da namorada.

– Está folga. Grande dia hoje – ele responde animado.

Ergo a sobrancelha em busca de uma resposta.

– Estamos grávidos!

– Ai meu Deus, Romeo! – trocamos um abraço desajeitado por cima do balcão. – Parabéns!

Desde que entrei pela primeira vez no café, seis meses atrás, Romeo e Maggie tem sido como uma segunda família pra mim. Eles estavam tentando engravidar há dois anos sem sucesso e agora Romeo parece flutuar de felicidade.

– É incrível, não é? Eu vou ser pai! – ele diz com um sorriso tão grande que deve doer. – Mas vamos ao pedido, isso aqui está prestes a explodir. Dois expressos com caramelo e creme em dobro?

Ele mal fecha a boca e um grupo de estudantes entra sedentos por cafeína para começar o semestre.

– Isso mesmo! Você vai ser o pai mais sexy do mundo falando essas coisas – brinco.

– Não é? – ele diz de costas para mim, preparando meu pedido.

Romeu coloca os copos na bancada enquanto agilizo o pagamento e se adianta para atender o resto da demanda.

Atravesso o estacionamento, o vento gelado me causando arrepios e me fazendo andar mais rápido do que seria humanamente possível. Entrego o copo de Bea e seguro o meu com as duas mãos na tentativa de aquecê-las

– Olha pra mim – Bea pede. – Seu rímel borrou.

Porcaria.

– Sem problemas, arrumo no banheiro do campus.

Ler texto completo

Sempre que penso em coisas que, sei lá, ocupam o meu dia, eu penso: quero desistir do blog. E todo mês acontecem duas coisas:

1) Eu juro que vou pagar pela última vez a hospedagem;

2) fico frustrada porque postei pouco.

E essas coisas, por sua vez, me levam a dois pensamentos:

1) O blog me faz feliz?;

2) qual é o meu objetivo ao fazer posts?

Uma coisa que levei um tempo para entender é que eu trabalho o dia todo fora, sou casada, tenho um cachorro, tento estudar à noite, faço (tento) yoga, preencho meu bullet journal, visito minha mãe, leio, tenho amigos, tenho uma casa, escrevo, tenho um blog… O ponto é: eu faço um milhão de coisas e no meio desse caos, escrever em um blog é a coisa mais fácil de se desistir.

A verdade é que parece que  quero desistir, mas sei que não consigo porque no fundo eu amo isso aqui. Então vou fazer posts tentando entender melhor minha situação, colocando os prós e contras das minhas atividades e tentar organizá-las no meu calendário.

A primeira pergunta está respondida: o blog me faz feliz. A segunda é um pouquinho mais chata porque me fez pensar um pouquinho. Vamos a lista:

Objetivos pelos quais tenho um blog:

  • Esvaziar minha mente: Às vezes, tudo o que eu quero é relaxar um pouquinho (como agora) e colocar meus pensamentos pra fora. Pode ser um livro muito intenso que eu tenha lido ou uma semana cansativa… Por muitas vezes é só alguma besteira mesmo que precisa ser expulsa do organismo e eu faço isso escrevendo.

 

  • Dar minha opinião sobre coisas aleatórias (filmes, livros…): Quando eu leio, vejo ou escuto alguma coisa muito boa, quero que o universo tenha noção da existência dessa coisa, é por isso que faço resenhas. O contrário também pode acontecer… Às vezes, não gosto de uma coisa e quero falar pras pessoas a minha opinião.

 

  • Instruir pessoas (como faço meu Bujo, falar sobre yoga…): É mais ou menos a mesma coisa das resenhas, quando gosto de um assunto, eu quero mostrar pras pessoas. Assim como tenho minhas dúvidas, sei que você ai também tem, então quero passar pra frente minhas experiências.

O que me atrapalha a cumprir com esses objetivos:

  • Vergonha: A boa e velha. Às vezes tenho medo de dar minha opinião e ser taxada de idiota ou quero fazer uns posts mais pessoais, mas… Não me entendo, principalmente porque amo ler textos pessoais em outros blogs hahaha

 

  • Falta de tempo: Escrever não é uma coisa que consigo fazer em 10 minutos, veja lá fazer um post. Todo o processo leva pelo menos duas horas, entre escolher um assunto e tirar as fotos… Por isso, coloquei a meta pra segunda-feira porque é o dia que estou de folga.

 

Meta:

Escrever quatro posts, um de cada categoria, esse mês. Postar às segundas- feiras (esse é o primeiro!). Experimentar novas coisas e escrever sobre o que eu quiser.

 

Não deixe de me acompanhar e mandar boas vibrações!

Beijos!

Eu sou uma pessoa financeiramente irresponsável, isso significa que eu gasto demais com coisas idiotas. Então, um dia acordei e pensei: eu sou uma pessoa tão organizada (cof cof) por que não começar organizar essa área da minha vida também? Fiz algumas pesquisas e cheguei ao livro escrito pela Denise Damiani: Ganhar +, Gastar -, Investir ✔- O livro do dinheiro para as mulheres.

Eu tenho muitas coisas para falar sobre esse livro, por isso vou fazer uma série de posts. Hoje vamos lá no comecinho mesmo:

Quem  é Denise Damiani e por que ela pode falar com propriedade sobre finanças?

A Denise é formada em engenharia de sistemas digitais e fundou a primeira empresa de home banking do Brasil. Quando ela foi CDO (Chef Diversity Offficer) na Accenture, que é a maior empresa de consultoria do mundo, além de ser um player global no setor de consultoria de tecnologia, ela foi a responsável por transformar, em seis anos, os míseros 3% de sócias mulheres para 30%. Hoje ela tem a própria consultoria, é conselheira de administração e ativista dos direitos das mulheres, se dedicando ao emponderamento feminino por meio da inteligencia financeira.

Por que eu quis falar sobre a escritora? Quando comprei o livro e minhas colegas de trabalho chegaram na parte do título que diz: O livro do dinheiro para mulheres, elas me olharam meio torno e acharam o título machista. Pois é, as pessoas já me olharam torto só pelo título, como se ler um livro de finanças para mulheres fosse algum tipo de crime. Mas…

Por que existe um livro de finanças só para mulheres?

Em um resumo bem rápido, até mesmo porque vocês precisam MESMO ler esse livro: Em pesquisas, quando somos comparadas aos homens, nós ganhamos menos, gastamos mais (em especial porque gastamos muito tempo e energia cuidando dos outros) e investimos menos e pior…

 

 

Ainda explicando porque a nossa relação com dinheiro é tão complicada, Damiani fala um pouquinho sobre como em nossa cultura falar sobre dinheiro é tabu, isso associado com a nossa falta de educação financeira gera o que a escritora chama de armadilhas mentais. Algumas dessas armadilhas são o pensamento mágico, o mito do príncipe encantado, o falso dilema e os que me causam arrepios:

O Complexo da boazinha:

“As boazinhas são prestativas e fazem tudo para agradar; não titubeiam em deixar de lado suas tarefas ou prioridades para ajudar o outro. Não chamam atenção para si: não levantam a voz, não brilham além da conta, não exigem muito. Sobretudo as boazinhas não incomodam: aceitam sem reclamar o que lhes é oferecido e ainda agradecem! E, claro, não falam em dinheiro porque é feio ou deselegante.”

A Síndrome da fraude (síndrome da impostora):

“Por mais competentes que sejamos, achamos que sabemos menos do que deveríamos, que não somos boas o suficiente.”

 

Colisão de domínios:

“Confundir questões emocionais com questões financeiras é uma clássica colisão de domínios que as mulheres praticam sem perceber.”

 

Nesse primeiro post, gostaria de deixar claro que com esse livro aprendi muito mais sobre emponderamento do que sobre dinheiro. E sinceramente? Me enriqueceu bastante. Em nenhum momento, me senti mal ou pesada com a leitura, era como se a cada página um pedacinho meu fosse revelado e ficasse exposto para uma melhora constante. Inclusive, há uma lista de combinados cujo o principal objetivo é fazer com que você não se sinta culpada pela situação em que está hoje em dia, dando um suporte (uma planilha maravilhosa) para você começar reverter suas complicações financeiras. Não importa quanto você ganha e sim como você gerencia seu dinheiro – e você deve falar sobre isso sim!

Essa semana li essas duas matérias: Uma sobre Síndrome da Impostora e  a outra sobre Sexismo nas empresas. Vale a pena e você pode ler aqui e aqui, respectivamente.

Espero que vocês invistam mesmo nesse livro e fiquem ligadas no próximo post sobre ele! Beijos e espero vocês!

Oi pessoal, tudo bem? Vim mostrar como organizei o mês de março no Bullet Journal. Eu dei uma vacilada em fevereiro porque viajei e essas coisas que me tiram da rotina são complicadas. Agora em março estarei de férias por alguns dias, ou seja, tempo de sobra pra preencher meu BuJo. Estou estudando caligrafia criativa com as canetas Tombow e fazendo Yoga *-*

 

Calendex

Bom, voltei aos quadradinhos e essa é a única certeza que tenho sobre o meu BuJo. Acho mais fácil me localizar dessa maneira. Uma história engraçada sobre o calendário de março é que passei horas estudando e procurando como fazer a letra M, mas não encontrei nenhuma que me deixasse feliz e segui em frente. No dia seguinte, abro o insta e está lá o M perfeito hahahha. Tudo bem, fica pra próxima.

 

Memories // The Miracle Morning

Vou experimentar esse novo tipo de Memories. Cada quadradinho desse vai representar uma semana, dai eu anoto o que eu quero recordar da semana que passou (pode funcionar até como um Gratitude Log). E quero anotar algumas coisas da minha rotina como o que eu ando assistindo, ouvindo, comendo….

No The Miracle Morning do mês passado eu fiquei meio perdida, mas acho que assim fica melhor. Anoto a data e pinto a atividade que fiz naquele dia (S – silence, A – affirmation, V – visualization, E – exercise, R – reading, S – Scribbe). Ainda vou escolher minha afirmação e escrever no espaço em branco. Ali e baixo criei o 30 days of productivity que é escolher uma atividade para eu fazer pelo menos um pouco todos os dias (no meu caso, escrever um livro).

 

Viajando // March Tracker

Vou entrar de férias Yaaaay!!! Tá que é só por dez dias, mas neah? Vamos viajar e eu estou fazendo uma listinha do que vou levar e os programas que quero fazer.

Eu sempre fico com preguiça do tracker, vou tentar só mais uma vez.

 

Auto Cuidado // Limpeza

Estou animada para fazer esse tracker que na verdade é um gráfico. Pela foto não dá pra ver direito, mas já tem ali as legendas de cores.

Vou tentar repetir o tracker de limpeza, mas acho que não usarei muito esse mês. Deixei um espaço branco para eu poder usar eventualmente.

 

#PlanWithMeChallenge

Tô tentando esse arrocho desde Janeiro, essa é a última tentativa. Deixei esse espaço em branco pra ver se decido fazer o #RockYourHandwriting ou o#TheFabulousProject.

 

Weekly Log

Tenho amado o modo como organizo minhas semanas e resolvi tentar um novo jeito antes de decidir qual é o meu jeito favorito. Fiz a visão geral do mês, a tabelinha de quanta água ando bebendo por dia. A lista de coisas para serem feitas nessa semana, minhas finanças, as metas de cada dia da semana, e a programação de cada dia! Yay!

Para ver o Bullet Journal de fevereiro, basta clicar aqui.

É isso, espero que vocês tenham curtido e entendido um pouco mais sobre esse método maravilhoso.

Beijos e até a próxima!

Oi gente! Tudo bem com vocês? Por aqui tudo na positividade. Queria mostrar um presente que me deixou muito feliz (e que presentes não deixam, não é?). Presentes de papelaria são muito bem vindos por aqui, inclusive hahahaha. Mas não esperava mesmo receber presentes lindos de duas marcas pelas quais sou apaixonada! Vamos começar pela Ótima Papelaria.

Sou muito fã da Ótima e já tenho uma pequena coleção de produtinhos da marca, que possui um design lindo, tudo muito bem feito e o melhor: a experiência que me é proporcionada cada vez que abro um produto. E foi exatamente isso que eles me mandaram, um kit de experiências.

A caixa preta é bem durinha e linda, o design cheio de desenhos com meu nome escrito foi de tirar o fôlego. O revestimento dessa caixa é verde e achei super atraente.

Papetalk Maxi

Dentro da caixa veio um papertalk maxi. Eu já conhecia a linha papertalk mas não deixei de ficar encantada. A capa é feita do mesmo material da caixa e nela está escrito: Planeje, registre, recorde as suas experiências. Além de ter esse elástico que o mantem fechado, ainda possui um elástico na lateral que serve para guardar a caneta, que veio junto! Tudo na mesma cor do interior da caixa.

As folhas são amareladas, pautadas e numeradas! Pra quem faz o Bullet Jounal é mais sensacional ainda porque a primeira página do papertalk é um index! Demais! Para finalizar, tem uma fitinha da mesma cor do elástico para marcar a página.

 

Conjunto

Esse bloquinho fofo de notas auto adesivas que parece uma carteira quando está fechado é super bacana pra levar na bolsa, pois o exterior é rígido. O Doug enlouqueceu quando viu essa belezura e como ele usa bastante no trabalho, resolvi fazer esse agradinho pra ele.

 

Roll Notes

O Roll Notes é essa maravilha ai. Uma nota auto adesiva cujo o tamanho você escolhe, basta ir puxando o papel até o tamanho que você precisa, arrancar e colar em qualquer lugar <3 Bacana demais, né?

 

Muito obrigada, Ótima! Vcs são demais!

 

Mimo Cícero Papelaria

 

LINDIMAIS, NÉ NÃO?

 

Pessoas lindas tem tudo isso e muito mais lá na Leitura do Capim Dourado Shopping. Vai lá, olha tudo e de quebra a gente troca aquela ideia bacanuda. Estou esperando vocês :*

Oi gente, tudo bem com vocês? Em janeiro eu consegui fazer uma leitura extra e é por isso que estamos aqui hoje, para conversar sobre Um Caso Perdido da Colleen Hoover. Esse livro passou muito perto de me decepcionar mas acabou se revelando uma surpresa muito agradável. O título em inglês é hopeless e acredite, esse é um fator relevante no quebra cabeça.

Sky é uma garota que foi educada a vida inteira em casa pela mãe que é totalmente anti-tecnologia. À noite ela permite que alguns garotos invadam seu quarto para uma sessão de amassos, mas não importa o quão lindo esses garotos sejam, ela não sente absolutamente nada por nenhum deles. Em seu último ano, ela vai estudar na escola regular, e é lá que ela vê pela primeira vez Dean Holder e a conexão entre eles é imediata,  Sky e Holder são cheio de segredos e ao serem revelados, suas vidas mudam drasticamente.

 

Como eu já disse ali no primeiro parágrafo, esse livro passou muito perto de me decepcionar. No começo, Um Caso Perdido é morno e até irritante, a história inteira parece desconectada e a gente não consegue enxergar onde tudo aquilo pode dar. Vemos apenas dois protagonistas explosivos que não conseguem se dar bem e que não tem nada a ser explorado.

Do meio pro final é que as coisas começam a acontecer e tudo fica surpreendente, triste, dramático e bonito, tudo ao mesmo tempo. Fiquei angustiada, prendi a respiração, sofri junto e até chorei. Não me apaixonei por Holder e Sky e sim pela a história deles. Um Caso Perdido não é o meu livro favorito da escritora, longe disso, mas não posso negar que fiquei emocionalmente sentida e que com certeza lerei a versão do Holder no livro chamado Sem Esperança.

 

Se alguém tiver lido, deixe sua opinião ai nos comentários!

Beijos e até a próxima.

 

Ficha do Livro

Título: Um Caso Perdido – Hopeless

Autor: Hoover, Colleen

Editora: Galera Record

Número de páginas: 384 páginas

♥ Minha nota para o livro: 4 / 5 estrelas

Oi pessoal! A minha lista de leituras de fevereiro continua seguindo bastante interessante e agradável, estou adorando essa nova fase de auto-conhecimento!

Em janeiro eu consegui fazer uma leitura extra e espero conseguir fazer o mesmo esse mês. Como perdi a primeira semana, coloquei como meta  ler apenas três livro, mas se tudo der certo, vou tentar ler quatro. Simbora?

 

Ganhar, Gastar, Investir. O Livro do Dinheiro Para Mulheres 

Ando em uma fase de reflexão sobre a minha vida (será a idade chegando, meu Deus?)  e uma das áreas mais desajustadas é a financeira.

Li ótimos comentários sobre esse livro e logo nas primeiras páginas descobri que não só posso aprender a cuidar dos meus ganhos, como a tomar as rédeas de outros aspectos da minha vida. Essa vai ser uma resenha muito interessante.

 

O Ano Em Que Disse Sim

Eu sou muito viciada em Grey’s Anatomy e quando descobri que a Shonda tinha escrito esse livro, fiquei ansiosa para conhecer um pouco mais sobre essa mente genial.

Li uma resenha que reforçou ainda mais esse desejo, pois conta como a Shonda aprendeu a dizer sim para varias coisas, mas o mais importante: como ela aprendeu a dizer sim ao não.

 

Sem Esperança

Em janeiro rolou uma leitura extra. Um Caso Perdido (em breve, resenha)  pareceu que não ia dar em nada, mas de repente eu não conseguia parar de pensar na ideia de ler Sem Esperança, que é o ponto de vista de um dos protagonistas.

 

Bônus: Em Busca de Cinderela

E se der tempo, eu quero ler esse spin-off que é bem curtinho e também faz parte da série Hopeless (Um Caso Perdido e Sem Esperança).

 

E ai, o que você achou? Conta pra mim a sua lista para janeiro!

Beijos e até a próxima!

Oi pessoal, tudo bem? Vim mostrar como organizei o mês de fevereiro no Bullet Journal. E já posso dizer que estou bastante satisfeita, pude aprimorar ainda mais o BuJo de acordo com as minhas necessidades e me conhecer  ainda mais. Me despedi de janeiro e saudei fevereiro a la @luckyletters e fiz esses desenhos que achei muito fofo!

 

Calendex // Gratitude Log

Eu mudei a maneira como faço a visão geral do mês e achei que ficou bom, exceto o nome do mês que eu preciso mesmo praticar mais! O meu motto da vez é: Stay Motivated, e como eu preciso viu gente, ficar motivada.

O Gratitude Log é onde quero escrever pelo menos uma coisa pela qual fui grata no dia, acho um exercicio muito importante.

 

Desafios

Estou tentando novamente os desafios #rockyourhandwriting #planwithmechallenge e o #thefabulousproject. Resta ver se me saio melhor que mês passado, pelo menos.

 

The Morning Tracker // My Yay Things

Lembram que eu falei sobre o livro O Milagre da Manhã? Pois é, resolvi colocar em prática! Fiz esse tracker e pinto os dias em que cumpri os objetivos. Embaixo fiz uma reflexão de como seria o meu dia perfeito.

O My Yay Things é o substituto do Memories, onde vou anotar as coisas bacanudas que aconteceram comigo em fevereiro.

 

Calendário Lunar // Selfcare Tracker

O calendário lunar é onde verifico meu humor e como meu corpo reage de acordo com as fases da lua e período menstrual. E olha que arte linda minha amiga Bel fez!

O Selfcare tracker é onde registro minha rotina de auto-cuidado que inclui se eu bebi água, se ando bebendo refrigerante, como anda meu soninho…

 

Tracker de Limpeza // #luckyinlovelettering

Mês passado eu falei que não repetiria o tracker de limpeza, mas acabei encontrando essa solução. É só anotar as datas, por exemplo, quando eu trocar a roupa de cama ou as toalhas de banho. É um ótimo controle, principalmente pra mim que gosto de fazer essas coisas semanalmente.

O #luckyinlovelettering é um desafio muito fofo para comemorar o Valentine’s day que é agora dia 14! Depois venho mostrar o que andei aprontando aqui.

 

Finanças

Protegi ali algumas infos pessoais, mas queria mostrar esse trackerzinho que fiz com os dias do mês. Quando gasto dinheiro pinto de vermelho e quando não gasto pinto de azul. Não obtive sucesso ainda, mas me aguarde!

 

Lista de compras // Blog

Achei tão lindinha a minha lista de compras de supermercado <3 já comprei a maioria das coisas.

E a parte do blog que ficou meio abandonadinha, é umas das coisas que pretendo aprimorar.

 

Weekly Log

Finalmente! Gente, olha que coisa mais primorosa, fala a verdade! Eu amei essa semana! Coloquei ali a visão geral do mês, os dias direitinho com suas tarefas e esse desenho fofo de baleia! Na página seguinte, a To Do List da semana, as metas de cada dia, o plano de refeições e ali no cantinho, a evolução da minha leitura atual.

Para ver o Bullet Journal de janeiro, basta clicar aqui.

É isso, espero que vocês tenham curtido e entendido um pouco mais sobre esse método maravilhoso.

Beijos e até a próxima!

Oi gente! Umas semanas atrás, eu estava no face quando vi uma das minhas amigas falando sobre um programa de desintoxicação alimentar. Ela havia ficado trinta dias sem ingerir refrigerante, bebidas alcoólicas, açúcar e outras coisinhas e estava se sentindo ótima. Uma as hashtags me chamou atenção e resolvi pesquisar o termo Whole30 e foi ai que descobri que tinha um livro inteirinho sobre o assunto.

Funciona mais ou menos assim, de acordo com o livro existe determinados grupos de alimentos que podem causar impacto negativo na sua vida (sim, vida! Na sua composição corporal, saúde e qualidade de vida). Para descobrir quais são esses alimentos, o programa propõe que você elimine por trinta dias da sua dieta, grupos de alimentos que conforme a ciência ou nossa experiencia já demonstraram, promovem hábitos e desejos alimentares nada saudáveis, prejudicam o metabolismo, danificam o trato digestivo e sobrecarregam o sistema imunológico.

Passado os trinta dias, você pode voltar (ou não) a reintroduzir esses alimentos, observando os impactos causados sobre as compulsões alimentares, o humor, níveis de energia, o sono, o sono, a digestão, entre outros.

No livro, é possível encontrar uma lista com várias doenças que podem ser causadas pela ingestão desses alimentos, a lista de alimentos proibidos ou não, as regras para seguir o programa, como dar os primeiros passos, como o seu corpo deve reagir a eliminação dos alimentos, como reintroduzir os alimentos após os trinta dias, um compilado de dúvidas frequentes e suas repostas, enfim. Tudo o que você imaginar, tem no livro. Eu amei, achei super completo e sanou todas a minhas dúvidas.

Embora eu tenha achado todas as informações muito bem passadas e tenha gostado de ler tudinho, o que mais me pegou foram as receitas. Quando li a palavra “eliminar grupos de alimentos” já pensei: Putz, vai ser muito difícil. Mas as receitas são simples, bonitas e o mais importante: acessíveis. Fáceis de fazer, com produtos encontráveis em supermercado, sofisticadas e baratas. Fechou com chave de ouro.

O livro é lindo e colorido e as fotos das receitas são de babar. Indico demais e quando eu conseguir fazer o programa, venho detalhar a minha rotina aqui pra vocês. Combinado?

Ficha do Livro

Título: 30 Dias Para Mudar – Whole30

Autor: Hartwig, Melissa e Dallas

Editora: Sextante

Número de páginas: 416 páginas

♥ Minha nota para o livro: 5 / 5 estrelas


@blogantesdascinco