Antes das Cinco Estante
Menu

Faz séculos que eu não faço um post assim e não sei porque, pois acabei de divertir bastante escrevendo e de quebra me sinto mais motivada a ler, acho que vai voltar com tudo, hem?

Metas

Fahrenheit 451 – Bradbury, Ray

Biblioteca Azul – 216 páginas

Meta: 13/05 – 19/05

Sinopse aqui.

Esse foi o livro escolhido para o mês de maio no clube do livro. Comecei com bastante desinteresse, confesso, mas logo nas primeiras páginas fui conquistada.

 

Infinito + Um – Harmon, Amy

Verus – 336 páginas

Meta: 20/05 – 26/05

Sinopse aqui.

Eu já até comecei, mas parei pra dar um pouquinho de atenção pro Fahrenheit 451. Estava atras de uma leitura que me fizesse suspirar e como já tinha lido outro livro dessa escritora e esse tava há bastante tempo na estante, achei tudo ótimo.

 

Sol em Júpiter Salgado, Lola

Harlequim -256 páginas

Meta: 27/05 – 02/06

Sinopse aqui.

Não sei nem explicar a sintonia que senti por esse livro. To super ansiosa pra ler esse nacional.

 

Wishlist

Garota Ranho – O’Malley, Bryan Lee; Hung, Leslie, Quinn, Mickey

Quadrinhos na Cia. – 136 páginas

Sinopse aqui.

Supernormal – Neschling, Pedro Henrique

Paralela – 200 páginas

Sinopse aqui.

 

Em Pedaços – Layne, Lauren

Paralela – 176 páginas

Lançamento: 28/05

Sinopse aqui.

 

Um De Nós Está Mentindo – Fazia tempo que eu andava querendo ler um mistério juvenil no estilo Mentirosos. A editora fez bastante alvoroço em torno do lançamento de Um De nós Está Mentindo e no instagram não se falava em outra coisa, afinal quem não se interessaria pela história de cinco jovens, seus segredos e uma morte dramática?

Antes de explicar melhor e da minha opinião, gostaria de dar alguns conselhos:

  1. Não pesquise esse título na internet, tá cheio de spoilers (sou fã de spoiler, mas nesse caso não tem graça.);
  2. Se você não gosta de clichês, foge;
  3. Há muitas comparações com o seriado Riverdale. Se você gosta, esse é o seu momento.

Há coisas que são impossíveis de serem desfeitas, não importa o tamanho das boas intenções.

A História

Cinco alunos entram na sala de detenção da escola, todos os protagonistas são clichês: Bronwyn, a nerd; Nate, o rebelde; Cooper, o atleta; Addy, a beldade e Simon, o fofoqueiro. Já no inicio da detenção tudo parece estranho e logo em seguida Simon morre de uma maneira super esquisita fazendo com que os quatro colegas se tornem os principais suspeitos. Apesar das diferenças, todos eles tem algo em comum: segredos que seriam revelados por Simon no dia seguinte a sua morte repentina.

A morte misteriosa de um estudante do ensino médio. Quatro colegas de turma com segredos. Quando a polícia não chega a lugar algum, o que virá a seguir? – página 193

Enquanto as investigações correm e os quatro alunos tentam entender o que aconteceu, seus segredos começam a ser revelados, criando uma nuvem de mistério e incerteza em relação a tudo, mas a principal pergunta é: Quem Matou Simon?

Minha Opinião

Gostei bastante de todos os personagens, mas o meu favorito sem dúvida nenhuma é o Cooper. Amei o o fato de a escritora ter explorado muito bem todos os pontos de vista e as particularidades de cada personagem sem deixar o livro longo, confuso ou chato.

Algumas pessoas são tóxicas demais para viver. Simplesmente são. – página 103

Demorei um tempo para saber quantas estrelas dar, mas cinco estrelas me parece correto porque 1) eu sabia onde estava me metendo, 2) sabia que por causa do alvoroço da internet eu colocaria muitas expectativas que não se supririam.

Li rapidinho e apesar de ter gostado do desfecho, no final acabei achando umas coisas bobinhas e senti que a escritora quis incluir uns personagens e motivos nada a ver, mas ok, não estragou a experiencia.

Um De Nós Está Mentindo

Autor: Karen M. McManus

Ano: 2018

Número de Páginas: 384

Editora: Galera Record

Minha nota: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

Oi gente! Estava morrendo de saudades de ler uma coisinha gostosa, sem grandes pretensões, sabe? Dei quatro estrelas porque estava muito ciente de onde estava me metendo. Mais Que Amigos é um clichê de primeira, mas nem por isso deixou de ser divertido.

“E se o cara certo… estiver bem na minha cara?” pág. 70

Ben é mulherengo e se orgulha bastante disso, ele é o oposto da sua melhor amiga Parker, que namora há um bom tempo. Parker e Ben batem no peito ao dizer que são só bons amigos e nada mais, eles até dividem o mesmo apartamento, brigam por causa das toalhas e fazem compras juntos na Ikea. Tudo muda quando Parker fica solteira e resolve que nada melhor do que seu melhor amigo para ajudá-la a superar esse fim.

“Ben e eu em uma relação de desapego? Pois é. O apego decidiu dar as caras. E estou totalmente à mercê dele.” pág. 130

Ben é o típico machista de New Aldut, me irritei muito com algumas atitudes dele. E Parker é a típica mocinha sonsa, não senti muita atração por eles como pessoas separadas, mas formaram um casal fofo. Esse não foi o motivo que me levou a tirar a estrelinha da vitória suprema, eu só achei que a autora podia ter trabalhado um tiquinho mais as fragilidades do Ben antes de criar o conflito.

“Química é como todo o resto na vida. Quanto mais você procura, mais difícil fica encontrar.” pág. 69

Por falar em conflito, essa é sempre a minha parte favorita dos livros, infelizmente está sempre no final rs, mas eu amei demais essa parte específica. Sobre a capa adorei as cores, o casal da fotografia não retrata muito bem os personagens, mas acabei gostando mesmo assim.

“Quando encostei em você… eu desmoronei.” pág.212

Recomendo, é uma leitura delicinha e super rápida.

 

Mais Que Amigos

Autor: Lauren Layne

Ano: 2018

Número de Páginas: 256

Editora: Paralela

Minha nota: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

Eu tenho esse livro há tento tempo! Vivia enrolando até que resolvi encarar a fera…

Belly, sua mãe e seu irmão mais velho Steven, passam todos os verões com Susannah e seus dois filhos: Conrad e Jeremiah. Jeremiah é o mais novo, um menino doce e divertido, ao contrário do mais velho Conrad que é calado e misterioso e também o responsável por fazer o coração de Belly bater mais forte, mesmo que a reciproca não seja verdadeira.

Belly faz  o melhor que pode para mascarar seus sentimentos ao ficar com o carismático Cameron… Mas é ai que alguns sinais dos sentimentos de Conrad começam a aparecer.

 

Minha Opinião

O Verão Que Mudou Minha Vida é o primeiro de uma trilogia que, infelizmente, não vou continuar. Pensa numa protagonista insuportável e multiplica por dois. Belly é mimada, infantil e sinceramente não entendo como alguém se apaixonaria por alguém tão imatura.

A história é rapidinha, não senti nenhuma emoção ou friozinho na barriga. É um monte de coisas acontecendo sem motivos, talvez a autora tenha deixado pra desenvolver melhor nos outros livros, mas eu jamais saberei.

A escritora ainda tentou criar um triangulo amoroso, mas até isso ficou pela metade… Recomendo só se você não tiver absolutamente nada melhor pra fazer ou se quiser só ler por ler mesmo, pois não acrescenta em nada.

 

O Verão Que Mudou Minha Vida

Autor: Jenny Han

Ano: 2011

Número de Páginas: 288

Editora: Galera Record

Minha nota:

 

Com amor, Simon é a adaptação do livro Simon Vs A Agenda Homo Sapiens, saca a resenha do livro aqui.  Já posso começar dizendo que, pra mim, o filme é 10/10.

Simon tem 16 anos, uma família super cool e amigos incríveis. Mas também tem um segredo que só compartilha com o misterioso Blue através de e-mails: ambos são gays e ainda não estão prontos para se assumir.

Uma das partes mais legais é quando Simon não consegue entender porque precisa sair do armário. Afinal de contas, nenhum dos seus amigos héteros precisou reunir a família pra falar: alô, estamos todos aqui porque preciso dizer que sou hétero.

O problema é que o mala sem alça da escola flagra os tais e-mails e começa a chantageá-lo… E é ai que as coisas começam a se apertar.

Minha Opinião

Me diverti muito com o filme, mas chorei também. Consegui me emocionar junto com os personagens. Tenho certeza absoluta que foi um filme muito importante para quem passa/passou pela mesma situação.

Amei o quarto do Simon, mas senti falta de algumas características que foram muito citadas no livro e que daria 0 trabalho pra colocar no filme, como o fato de Simon ser viciado em Oreo (até rolou, mas bem sutilmente) ou o gosto musical perfeito do personagem…

No geral, achei bem fiel ♥

Ficha Técnica

Título Original: Love, Simon

Distribuidor: Fox Film do Brasil

Ano De Produção: 2017

Tipo De Filme: Longa-Metragem

Nota IMDB: 8,1 / 10

Minha Nota: 10 / 10

tags:

Estou tão feliz! Estou fazendo parte de um clube do livro e o melhor: só tem gente incrível. Começamos o Girassol em Prosa em março . Teve um simbolismo muito legal pelo dia da mulher, pensando nisso decidimos em conjunto ler um livro escrito por uma mulher.

Os Indicados:

O Conto da Aia – Atwood, Margareth
Razão e Sensibilidade – Austen, Jane 
Estudos Sobre Veneno – Snyder, Maria V.

E o vencedor foi O Conto da Aia, conforme o título desse post. Para saber mais sobre os outros títulos, basta clicar no nome deles ai em cima 😉

Sinopse:

O Conto da Aia passa-se num futuro muito próximo e tem como cenário uma república onde não existem mais jornais, revistas, livros nem filmes – tudo fora queimado. As universidades foram extintas. Também já não há advogados, porque ninguém tem direito a defesa. Os cidadãos considerados criminosos são fuzilados e pendurados mortos no muro, em praça pública, para servir de exemplo enquanto seus corpos apodrecem à vista de todos.

Nesse Estado teocrático e totalitário, as mulheres são as vítimas preferenciais, anuladas por uma opressão sem precedentes. O nome dessa república é Gilead, mas já foi Estados Unidos da América. As mulheres de Gilead não têm direitos. Elas são divididas em categorias, cada qual com uma função muito específica no Estado – há as esposas, as marthas, as salvadoras etc.

À pobre Offred coube a categoria de aia, o que significa pertencer ao governo e existir unicamente para procriar. Offred tem 33 anos. Antes, quando seu país ainda se chamava Estados Unidos, ela era casada e tinha uma filha. Mas o novo regime declarou adúlteros todos os segundos casamentos, assim como as uniões realizadas fora da religião oficial do Estado. Era o caso de Offred. Por isso, sua filha lhe foi tomada e doada para adoção, e ela foi tornada aia, sem nunca mais ter notícias de sua família. É u

ma realidade terrível, mas o ser humano é capaz de se adaptar a tudo. Com esta história, Margaret Atwood leva o leitor a refletir sobre liberdade, direitos civis, poder, a fragilidade do mundo tal qual o conhecemos, o futuro e, principalmente, o presente.

Acredite ou não, não é pré requisito usar óculos. Bárbara na frente de óculos vermelho; euzinha; Fernanda de óculos branco e Sara com esse lencinho muito charmoso e óculos, claro <3

Nossas opiniões:

Bárbara

Com uma escrita um tanto quanto descritiva demais e por vezes monótona, o livro contrasta com os best sellers da atualidade, que em geral, são dinâmicos e de leitura rápida. No entanto, choca com a identificação imediata que o leitor tem com os dias atuais, mesmo sendo uma obra dos anos 80, o que a autora expõe são situações bem próximas da realidade de muitas mulheres em alguns países e levam o leitor a refletir sobre os caminhos que a sociedade atual tem trilhado, reforçando assim, a importância da luta para que cada vez mais direitos sejam conquistados pelas mulheres.

Fernanda

O livro tem um tema importante para nossa sociedade, nos ajuda entender que os direitos conquistados não são absolutos e não podemos ser omissos em relação ao que acontece ao nosso redor, ainda mais em tempos de retrocesso como estamos vivendo. Atwood consegue expressar perfeitamente o terror de não ter controle nenhum sob si enquanto a personagem principal tenta viver num mundo onde sua liberdade foi totalmente tomada pela religião e governo que se tornam um só.

Luma

Tem trinta e dois anos que O Conto da Aia foi escrito e eu realmente me impressionei por ser tão atual. Não li o livro todo, confesso. Achei a história muito legal, porém longa e sem muitos acontecimentos e esse tipo de leitura não funciona pra mim. Mas senti tudo na pele e ainda comecei a assistir a série, cujo primeiro episódio já engloba 70% do livro. Sobre o seriado é muito lindo, muito estético e achei fiel ao livro. Sobre o livro, caramba. Eu consegui me sentir em todos os ambientes e os sentimentos da Offred são passados de forma muito verdadeira e viva para o leitor. Considero uma leitura curiosa e muito bem estruturada.

 

O encontro foi muito divertido! Trocamos várias experiências e admiramos o pensamento e individualidade de cada uma, além é claro do lanche delicioso haha. Já decidimos a leitura desse mês e já estamos ansiosas para o próximo encontro ♥

 

 

A Forma da Água foi o filme que mais recebeu indicações ao Oscar esse ano: 13, entre elas a de melhor filme e foi dirigido por Guillermo Del Toro (O Labirinto Do Fauno). O filme é poesia pura e conta a história de Eliza, uma zeladora muda (que mulher!) que trabalha em um laboratório onde um “monstro” anfíbio é mantido em cativeiro para estudos científicos. Uma história de amor é contada, Eliza e a criatura se apaixonam e com ajuda do vizinho e de sua colega de trabalho ela tenta libertar a criatura.

Falando assim, a sinopse parece não englobar a beleza do filme… Eu adorei a paleta de cores e a protagonista muda aguça todos os nossos sentidos, ela é tão delicada! Quanto a criatura, adorei as expressões e como ele é selvagem e ingenuo ao mesmo tempo. Esperava um envolvimento, digamos… menos sexual entre eles, mas fui deliciosamente surpreendida. O longa é charmoso e sexy e o que eu mais amei: não exige perfeccionismo de ninguém, é do jeito que é e tudo bem, sem maiores explicações.

Eu tô muito encantada. Porém, achei o filme superestimado devido as indicações, não é o meu favorito, mas é sem dúvidas uma bela história de amor <3

Ficha Técnica

Título Original: The Shape Of Water

Distribuidor: Fox Film do Brasil

Ano De Produção: 2017

Tipo De Filme: Longa-Metragem

Nota IMDB: 7,7 / 10

Minha Nota: 8 / 10

tags:

Pensei que não seria necessário fazer a resenha da leitura de Me Chame Pelo Seu Nome, visto que já falei do filme aqui. Mas se fez necessário porque se eu adorei o filme, amei 800% mais o livro que é poesia pura.

É incrível como a leitura é mais magnifica que o visual. Tem tanta coisa sobre o Elio que eu não fazia ideia… Mais uma vez essa história pinicou minha pele e aguçou meus sentidos. Elio é intenso, seu desejo era desesperador, louco, apaixonante…

Eu amei cada angustia e ansiedade, sem dúvidas, um personagem inteligente e lindo, o escritor trabalhou tão bem todas as fases, desde o desejo, passando pela dúvida, o arrependimento, o amor… Eu me senti uma adolescente me apaixonando junto no decorrer da história.

Oliver… Oliver, tão centrado e contido que se deixa levar, coisa mais linda, humor acido, dramático <3

E o cenário! Você com certeza vai sentir todas as sensação da Itália dos anos 80. Desde o calor do verão atéo cheiro do pomar. Um experiência sensorial muito bacana.

Gente, sério! Vocês precisam mesmo ler esse hino de livro, é tudo e mais um pouco: apaixonante e sensual.

Me Chame Pelo Seu Nome

Autor: André Aciman

Ano: 2018

Número de Páginas: 288

Editora: Intrínseca

Minha nota: ?????

Trechos

Você vê a pessoa, mas não a enxerga de verdade, ela simplesmente está por ali. E você fica lutando para aceitar algo que, sem que você soubesse, vinha ganhando forma bem debaixo do seu nariz, trazendo consigo todos os sintomas daquilo que só pode ser chamado de desejo. Como eu não percebi? Sei reconhecer o desejo. Desta vez, no entanto, tinha passado completamente despercebido. Tudo o que eu queria era pele, apenas pele.

Não fomos escritos para um único instrumento; eu não fui, nem você.

Existe uma lei em algum lugar que diz que, quando uma pessoa está completamente apaixonada pela outra, a outra deve inevitavelmente se apaixonar também.

Se não depois, quando?

Às vezes a única maneira de entender um artista é se colocar no lugar dele, estar dentro dele. Então todo o resto flui naturalmente.

É melhor falar ou morrer?

Se ele soubesse, se ao menos soubesse que eu estava dando todas as oportunidades para que ele somasse dois e dois e chegasse a um número maior que o infinito.

Quando a noite se esparramar no céu, conte histórias de pessoas inquietas que sempre acabam sozinhas e odeiam estar sozinhas porque é a sim mesmos que não suportam…

As pessoas que leem se escondem. Escondem quem são. Pessoas que se escondem nem sempre gostam de quem são.

Amei o igualitarismo do momento.

Me chame pelo seu nome e eu vou chamar você pelo meu.

E se a mesma pessoa que causa nosso tormento ao amanhecer é quem o alivia à noite?

Um coração e uma camisa. O coração dele enrolado em uma camisa úmida – como o peixe de Anchise.

Se houver dor, cuide dela, e se houver chama, não a apague, não seja bruto com ela. Arrancamos tanto de nós mesmos para nos curarmos das coisas mais rápido do que deveríamos, que declaramos falência antes mesmo dos trinta e temos menos a oferecer a cada vez que iniciamos algo com alguém novo. A abstinência pode ser uma coisa terrível quando não nos deixa dormir à noite, e ver que as pessoas nos esqueceram antes do que gostaríamos de ser esquecidos não é uma sensação melhor. Mas não sentir nada para não sentir coisa alguma… que desperdício!

Encontramos as estrelas, você e eu. E isso só acontece uma vez na vida.

 

Quer comprar livros com desconto? É só clicar nesse cupom 😉

Posso começar a resenha de Jogo de Espelhos falando palavrão?

Caralho.

Eu sou uma julgadora arrependida. Quando vi que a Cara Delevingne tinha escrito um livro, fiquei empolgada e curiosa, porém um pensamento ficou cutucando minha cabeça: será? Desconfio da capacidade das celebs escrevendo hahaha. Gosto bastante da Cara e foi só ler o prólogo para ter certeza de que sim, ela escreveu mesmo. Mas vale ressaltar que ela não o escreveu sozinha, a autora Rowan Coleman tem dez títulos já publicados e foi co-autora.

Eu tive certeza que queria o livro porque foi publicado pela Intrínseca (não tem erro) e pela sinopse. Olha só:

Naomi, Rose, Leo e Red são adolescentes enfrentando aquela fase em que se relacionar no colégio é tão difícil quanto encarar os próprios problemas. Red tem uma mãe alcoólatra e um pai ausente; o irmão de Leo está na prisão; Rose usa sexo e drogas para mascarar traumas antigos e Naomi se esconde atrás de peruca e maquiagem pesada. 
Quatro adolescentes tão diferentes viram melhores amigos quando são obrigados a formar uma banda. O que era uma tarefa chata vira a famosa e popular Mirror, Mirror. Através da música, eles encontram um caminho para encarar o mundo de outra forma. 
Mas tudo desmorona quando Naomi some misteriosamente e é encontrada, dias depois, entre a vida e a morte. O acidente desestrutura a banda e, consequentemente, a vida de todos. A sólida relação de amizade que eles achavam estar construindo tinha uma rachadura, e tudo o que restam são dúvidas e vazios. O que aconteceu com Naomi? Foi um acidente ou um ataque? Por que ela fugiria e deixaria a banda para trás? Por que esconderia segredos dos seus melhores amigos? Para desvendar o mistério por trás dessa história, Red e os amigos entram em uma investigação que vai desenterrar seus próprios segredos obscuros e fazê-los confrontar a diferença entre o que eles realmente são de verdade e a imagem que passam para o mundo.
Em seu romance de estreia, a modelo e atriz Cara Delevingne revela mais um talento ao apresentar um olhar fresco e sagaz sobre questões atuais da juventude: amizade, bullying, identidade, gênero, transtornos emocionais, a influência perigosa das mídias sociais nas relações e o poder destruidor da imagem.

O que eu sempre falo sobre personagens honestos, minha gente? Eu os amo. E aqui eu me apaixonei por cada um deles. Fui uma adolescente rebelde, sem causa mais fui. Sabe quando você se identifica com os personagens, mesmo que não tenha passado pelas mesmas situações? Caramba, esse povo poderia ter sido meus amigos de escola.

Cara abordou assuntos preocupantes: abandono familiar, estupro, violência, drogas, bullying, redes sociais, identidade de gênero… Tudo de uma forma extremamente verdadeira, porém dinâmica, sem deixar o livro pesado.

Teve um plot twist que até agora estou tentando me recuperar, sem sucesso. O livro é narrado por Red, personagem delicado e cativante. Amei tudo mesmo, o mistério, as resoluções… Só o final que achei um pouco corrido, mas eu já tava tão envolvida que não foi problema nenhum.

Vi muitas resenhas dizendo que é um livro sobre adolescentes para adultos, mas discordo. Precisamos falar abertamente sobre as coisas para que elas deixem de ser um problema.

A maioria das pessoas ficou incomodada com o nome da Cara tão grande na capa, mas eu fiquei super de boa. Gostei muito mesmo e fui surpreendida.

Jogo de Espelhos

Autor: Cara Delevingne e Rowan Coleman

Ano: 2017

Número de Páginas: 304

Editora: Intrínseca

Minha nota: ?????

 

Trechos

Será que ainda gostariam de mim se soubessem tudo a meu respeito, tudo o que eu penso, tudo o que eu desejo?

É você quem decide o que é normal.

É aqui que a vida acontece. Nas coisas que são deixadas para trás.

Sou uma onda, pensei. Mesmo desmoronando, continuo forte.

Mas a verdade é que Rose quer ficar sob os holofotes porque tem medo do escuro. Ela quer todas as atenções, porque tem medo de ficar sozinha. Ela quer ser querida por todos porque, às vezes, lá no fundo ela se odeia.

O problema da Rose é que ela é muito mais frágil do que parece, e às vezes, só às vezes, acho que ela na verdade se esforça para ser magoada.

Voltamos com a programação Oscar <3 Dunkirk foi o primeiro filme que assisti, na época eu não sabia que ele ia concorrer e sim, fui assistir por causa do Harry Styles and Thomas Hardy.

O filme foi filmado sob três perspectivas: terra, mar e ar. Conta a história de quatro mil soldados aliados da Bélgica, do Império Britânico e da França que ficaram cercados pelos alemães na Segunda Guerra Mundial em Dunquerque e aguardam resgate no meio da guerra.

Terra

O conflito em terra foca em três personagens: Tommy, que depois de escapar de um ataque alemão nas ruas de Dunquerque consegue chegar a praia onde conhece Gibson. Juntos eles fazem tentativas frustradas de serem evacuados com os soldados feridos em navios. Em uma dessas tentativas, eles se juntam ao Alex (meu Harry Styles). E o resto é história, não posso revelar muito por motivos de spoiler.

Mar

Enquanto os soldados tentam fugir a qualquer custo, no mar, vários barcos particulares são requisitados para ajudar na evacuação. Aqui conhecemos o Sr. Dawson, que ao invés de entregar o barco para a marinha, decide ir ele mesmo, junto com seu filho Peter e seu amigo Charles. No meio do caminho, eles resgatam do meio de destroços de um navio um soldado traumatizado. E o resto, vocês sabem, é história.

Ar

No ar, três pilotos sobrevoam o canal da mancha, com o objetivo de dar assistência aérea para os soldados de Dunquerque. Só que o medidor de combustível de um deles quebra, mesmo assim ele continua firme no proposito de destruir um avião inimigo.

Enfim. É difícil falar assim porque são muitos detalhes. É um filme extremamente visual, fotografia impecável, muito linda mesmo e os sons, uau! Sai do cinema muito impressionada com a produção. Pouquíssimos diálogos (muito pouco mesmo), o que deixa o filme ainda mais genial. Todos os personagens tem uma sede muito bonita pelo heroísmo, fiquei bastante emocionada.

Meu Harry Styles foi maravilhoso e Tom Hardy, Tom Hardy, né mores? O filme foi dirigido por um dos meus diretores favoritos: Christopher Nolan, ele é a mente brilhante por trás de alguns filmes do Batman (sim, o do Coringa do Heath Ledger, inclusive), A Origem, Interstellar e outros filmes fodas.

Ficha Técnica

Título Original: Dunkirk

Distribuidor: Warner Bros

Ano De Produção: 2017

Tipo De Filme: Longa-Metragem

Nota IMDB: 8,1 / 10

Minha Nota: 10 / 10

 


@blogantesdascinco