Antes das Cinco Estante
Menu

Três coisas chamaram minha atenção na hora de ler Supernormal: a capa, os quotes que a editora divulgou no insta e o tema. Eu estava conversando uma amiga dias atrás e em certo momento entramos no assunto sobre o que era cis, identidade de gênero, orientação sexual e estávamos afiadas. Em certo momento ela comentou que um colega de classe não sabia o que era cis e isso me deixou pensativa: como toda essa informação chega até a gente?

O livro

Quando criança, Beto tinha um melhor amigo chamado André. Anos depois, Beto é um advogado em ascensão e tudo vai muito bem, obrigado, até ele reencontrar André, ou melhor, Helena. Seu melhor amigo de infância é uma mulher trans e isso faz com que Beto reveja todos os seus conceitos.

Beto é um pouco dramático e confesso que por muitas vezes o estilo de escrita me incomodou, mas o x da questão era exatamente esse: Supernormal veio para cutucar.

Minha Opinião

Fiquei desconfiada quando o Pedro Neschling (sim, o ator!), homem hétero, escreveu um livro sobre pessoas trans, sendo que esse não é o seu lugar de fala. Contudo, me senti bastante contemplada pelos assuntos abordados, mesmo que de forma superficial (o livro tem 200 páginas, galera).

A linguagem é simples e me despertou interesse para buscar mais. Representatividade importa e acho que tornou a informação um pouco mais acessível.

Queria que a infância dos dois tivesse sido mais explorada e em alguns pontos senti um certo tom de generalização. Senti falta de alguns desfechos e também acho que ele abordou assuntos paralelos e por isso acabou falando um pouco sobre tudo superficialmente, sendo que poderia ter focado e trabalhado melhor no tema principal.

Além de abordar a transexualidade e dentro desse nicho: a cirurgia transicional, identidade de gênero e orientação sexual, também há referências ao feminismo e violência doméstica.

O Pedro incluiu muitas músicas e descrições de looks, o que me agrada bastante pois é algo muito presente na escrita dos brasileiros. Eu torcia pro livro ser mais profundo, mas acho que já é um começo.

Supernormal

Autor: Pedro Henrique Neschling Ano: 2018 Páginas: 200 Editora: Paralela Nota: 4/5

Lidos em junho

Supernormal ♥♥♥♥

Esse nacional foi uma leitura muito rápida, afinal o livro só tem 200 páginas e conta a história de Beto, que quando era criança tinha um melhor amigo chamado André. A vida acontece e eles ficam muitos anos sem se ver, quando se reencontram, André não é mais um garotinho. Ele se chama Helena, uma mulher trans.

Em Pedaços ♥♥♥♥

Eu tava doidinha pra ler esse romance, é da mesma escritora de Mais Que Amigos. Olivia tem NYC aos seus pés, por isso as pessoas estranham quando ela tranca a faculdade para trabalhar como cuidadora de um veterano de guerra. Paul não etá nada contente com isso, ele tem muitos traumas e prefere ficar sozinho, mas de um jeito ou de outro, eles não conseguem se afastar.

Cracked Kingdom ♥

O quinto livro da série Royals e o segundo focado no Easton. Ai gente, sinceramente não sei porque ainda to dando corda pra essa série, mas vamos lá. A Hartley perdeu a memória e tem muita gente se aproveitando disso e a história é basicamente isso, ela tentando recuperar suas memórias e o Easton tentando ajudar.

Him ♥♥♥♥

Him livro vai ser lançando agora no Brasil, pela Paralela, como Ele, eu não me aguentei e fui ler. É um romance LGBT que conta a história de Wes e Jamie, dois jogadores de Hockey. Eu gostei, achei meio raso, mas a escrita me cativou e é bem erótico.

Sr. Daniels ♥♥♥♥♥

Eu não sei se vocês sabem, mas esse é apenas o meu livro favorito, e sim, eu nunca resenhei ele aqui. Estou disposta a mudar isso muito em breve, nem vou falar nada sobre agora kkk.

 

Para ler em julho

Disgrace

Foi lançado em inglês dia 28 e conta a história de Grace, uma mulher que não acredita mais no amor depois de o marido a deixar por outra mulher, e Jackson que não acredita em compromissos. É uma história sobre corações partidos e eu to só esperando meu emocional melhorar pra começar rs.

Para Todos Os Garotos Que Já Amei

Eu ganhei esse livro há um tempão e agora que saiu o trailer fiquei com vontade de ler. Lara Jean guarda cartas de amor não enviadas, cinco delas. Só que essas cartas acabam sendo enviadas aos seus remetentes sem querer. Já entenderam, né? Delicinha demais.

Sol Em Júpiter

Já tô há dois meses tentando ler esse livro, ele é nacional e tô sentindo que agora vai! Sol é uma digital influencer com a vida perfeita, mas será? Quando ela conhece Júpiter, seu mundo balança e ela descobre que nem tudo é aquilo que a gente pensa que é.

O Ódio Que Você Semeia

Acho que essa vai ser a leitura mais poderosa do mês, é o escolhido do clube do livro e vai ter filme também. Starr presenciou o melhor amigo ser assassinado na sua frente, o motivo? A cor da sua pele. O livro mostra Starr tentando encontrar sua voz estando em um sociedade racista.

 

Wishlist

Tarde Demais

Eu já li em inglês e amei! É o novo lançamento da Colleen Hoover pela editora Record.

Us

A continuação de Him ♥

 

E ai gente, o que vocês me contam? Quais são as metas de leituras de vocês? Vocês já leram algum desses livros?

Beijos e até a próxima!

No Clube do Livro do mês passado nós lemos Fahrenheit 451. Escolhemos por causa do dia do Orgulho Nerd e também pela estréia do filme. Investimos em um jantarzinho árabe e entre risadas discutimos esse clássico. A curiosidade é que Fahrenheit 451 é a temperatura exata em que um papel pega fogo.

Os bons escritores quase sempre tocam a vida. Os medíocres apenas passam rapidamente a mão sobre ela. Os ruins a estupram e a deixam para as moscas. Entende agora por que os livros são odiados e temidos? Eles mostram os poros no rosto da vida.

Sinopse

Imagine uma época em que os livros configurem uma ameaça ao sistema, uma sociedade onde eles são proibidos. Para exterminá-los, basta chamar os bombeiros que agora são os responsáveis pela manutenção da ordem, queimando publicações e impedindo que o conhecimento se dissemine como praga.

Para coroar a alienação em que vive essa nova sociedade, as casas são dotadas de televisores que ocupam paredes inteiras de cômodos, e exibem “famílias” com as quais se pode dialogar, como se estas fossem de fatos reais.

Este é o cenário em que vive Guy Montag, bombeiro que atravessa séria crise ideológica. Sua esposa passa o dia entretida com seus “parentes televisivos”, enquanto ele trabalha arduamente. Sua vida vazia é transformada quando ele conhece a vizinha Clarisse, uma adolescente que reflete sobre o mundo à sua volta e que o instiga a fazer o mesmo.

O sumiço misterioso de Clarisse leva Montag a se rebelar contra a política estabelecida, e ele passa a esconder livros em sua própria casa. Denunciado por sua ousadia, é obrigado a mudar de tática e a buscar aliados na luta pela preservação do pensamento e da memória.

Um clássico de Ray Bradbury, “Fahrenheit 451” é não só uma crítica à repressão política mas também à superficialidade da era da imagem, sintomática do século XX e que ainda parece não esmorecer.

Bárbara

O que mais me chamou a atenção em Fahrenheit 451 foi o fato de ter sido escrito em meados dos anos 50, abordando uma realidade distópica que se passaria no futuro e mesmo assim me identificar tanto com ela. Não é difícil perceber que a alienação causada pela tecnologia e total falta de profundidade nos relacionamentos é um fato já observável nos dias de hoje, e foi bem triste me dar conta de que apesar de não vivermos em uma sociedade em que livros são proibidos e queimados, vivemos em uma sociedade que cada vez menos pessoas se interessam por eles. Esse livro me fez questionar se isso não é ainda pior.

Fernanda

Fahrenheit 451 não é um livro simples. Sua leitura progride devagar enquanto observamos o mundo do protagonista, um lugar onde a diversão e felicidade é valorizada acima de tudo e todos. No mundo de Fahrenheit 451 as pessoas estão anestesiadas pelo entretenimento.
Então acompanhamos a trajetória do protagonista ao questionar essa vida quando conhece alguém que era diferente dos demais. O livro me surpreendeu em diversos momentos: seja a profundidade de personagens secundários, seja sua ambientação fascinante explorando um futuro que mesmo imaginado por volta dos anos 50 nos parece terrivelmente real hoje em dia.

Luma

Talvez eu não devesse ter lido a sinopse ou ter visto o trailer porque me senti enganado por ambos. Antes de qualquer coisa esperava uma especie de A Menina Que Roubava livros, mas não chegou nem perto. Apesar de ter achado a premissa interessante, achei que faltou um pouco mais de aprofundamento nos personagens.

E é um tanto assustador ver que já vivemos um pouco da realidade desse livro considerado ser ficção, onde olhamos somente para o nosso umbigo e que educação já não é prioridade dos nossos governantes. Afinal de contas, pessoas cultas não se deixam trapacear facilmente. Encerro dizendo que o protagonista não chega nem aos pés do Beatty, o livro deveria ter sido sobre ele.

Sara

Imagine uma sociedade onde seus indivíduos estão tão anestesiados por remédios, tão influenciados pela televisão, uma sociedade onde os livros não são mais permitidos, onde são queimados por bombeiros (antes os que apagavam o fogo, agora os que o despertam), onde o torpor é o bem mais precioso.

Esse é o universo que encontramos em Fahrenheit 451, uma distopia primorosa da ficção científica que nos atenta para a alienação cada vez mais presente e pulsante em nós, 451 graus Fahrenheit é a temperatura necessária para que o papel fique em chamas e essa mesma chama é o nosso consciente ao final do livro, tão desperto para importantes questões.

 

Espero que tenham gostado e que estejam preparados para a nossa próxima leitura!

Voltei, como prometido para mostrar as minhas ambições de junho rs. To bem animada com os títulos! Escolhi nacionais, livros em inglês e até com temática LGBT. Bora ver?

Metas

Supernormal – Neschling, Pedro Henrique

Paralela – 200 páginas

Meta: (Lido) 01/06 -02/06

Sinopse aqui.

Foi o primeiro livro do mês! Li em dois diazinhos, gostei bastante e coloquei a resenha no insta.

 

Em Pedaços – Layne, Lauren

Paralela – 248 páginas

Meta: 03/06 – 09/06

Sinopse aqui.

Eu tô doida pra ler esse livro, tem tanto quote lindo que já estou apaixonada antes mesmo de começar.

 

Sol Em Júpiter – Salgado, Lola

Harlequin – 256 páginas

Meta: 10/06 – 16/06

Sinopse aqui.

Acabei de notar que minha lista de leituras tem bastante nacional. E descobri que a Lola tem outros livros, então se eu gostar desse, já sabe…

 

Uma História de Verão – Gonçalves, Pam

Galera Record – 304 páginas

Meta: 17/06 – 23/06

Sinopse aqui.

Outro nacional! Estou animada pra ler esse livro da Pam mais por curiosidade em ver como é a escrita dela. Mas olha que capa linda!

 

As Cartas Que Escrevemos – Cherry, Brittainy C.

Record – 73 páginas

Meta: 17/06 – 23/06)

Sinopse aqui.

Esse curtinho é apenas um conto da minha escritora favorita da vida ♥

 

Wishlist

No Ritmo do Amor

Lançamento: 11/06

Eu li esse livro em inglês. Ele é muito lindo, meu Deus!

 

Disgrace

Lançamento: 28/06

Já é o terceiro livro da minha rainha que aparece nesse post. Tô ansiosa? Demais.

 

Ele

Lançamento: 29/06

Adoro a Elle Kennedy e nunca li um romance LGBT, então tô bem curiosa.

 

É isso, pessoal! Espero que tenham gostado e que acompanhem as resenhas aqui <3

Beijos e até a próxima!

Aconteceu o segundo encontro do clube do livro! E foi tão ou mais divertido que o primeiro, dessa vez improvisamos um jantar mexicano.

O título escolhido foi Passarinha por causa do Dia Mundial de Conscientização do Autismo que foi comemorado dia 2 de abril.

Sinopse

No mundo de Caitlin, tudo é preto e branco. Qualquer coisa entre um e outro dá uma baita sensação de recreio no estômago e a obriga a fazer bicho de pelúcia. É isso que seu irmão, Devon, sempre tentou explicar às pessoas. Mas agora, depois do dia em que a vida desmoronou, seu pai, devastado, chora muito sem saber ao certo como lidar com isso. Ela quer ajudar o pai – a si mesma e todos a sua volta -, mas, sendo uma menina de dez anos de idade, autista, portadora da Síndrome de Asperger, ela não sabe como captar o sentido.

Caitlin, que não gosta de olhar para a pessoa nem que invadam seu espaço pessoal, se volta, então, para os livros e dicionários, que considera fáceis por estarem repletos de fatos, preto no branco. Após ler a definição da palavra desfecho, tem certeza de que é exatamente disso que ela e seu pai precisam. E Caitlin está determinada a consegui-lo. Seguindo o conselho do irmão, ela decide trabalhar nisso, o que a leva a descobrir que nem tudo é realmente preto e branco, afinal, o mundo é cheio de cores, confuso mas belo.

Um livro sobre compreender uns aos outros, repleto de empatia, com um desfecho comovente e encantador que levará o leitor às lágrimas e dará aos jovens um precioso vislumbre do mundo todo especial dessa menina extraordinária.

Nossas Opiniões:

Bárbara

Passarinha é o tipo de livro que faz você refletir a pessoa que você é e que deseja ser. O mundo pelos olhos de uma criança portadora da Síndrome de Asperger diante de uma situação de luto associado a tragédia que envolve esse luto, deixa a história com uma sensibilidade sem tamanho.

As reações de Caitlin a situações cotidianos nos faz entender que viver em sociedade é algo desafiador e que definitivamente, exige muita empatia e sensibilidade para com outro.

 

Fernanda

É inegável o apelo emocional do livro, Caitlin é carismática e difícil de não gostar. Sua visão do mundo e opiniões são muito peculiares por causa do Aspenger.

Acompanhar a visão dela em relação a tragédia que atinge sua família e observar seu crescimento e desenvolvimento em sua jornada em busca de um desfecho é realmente incrível e foi emocionante. Não era o tipo de livro que eu escolheria sozinha e foi uma experiência diferente.

A história é agridoce em todos os seus momentos e faz qualquer um rir ou chorar com algumas páginas de diferença, ou na mesma página. Recomendo.

 

Sara

Sensibilidade, empatia e belas metáforas. Esses são os vocábulos que nos enchem os olhos ao ler Passarinha, este se mostra uma bela dança sobre a superação de um luto por uma filha e seu pai, filha esta portadora de Síndrome de Asperger.

O livro mostra de forma delicada e sensitiva como se sente e enxerga o mundo Caitlin, ele nos transmite para o mundo de sua mente, cheia de intensidade e profundidade.

Um livro preenchido de lições para ficar na memória, que não arromba a porta mas que convida para uma suave melodia, esse é Passarinha.

 

Foi incrível e teve participações especiais haha e já temos data marcada para o próximo <3

Beijinhos e até a próxima!

Faz séculos que eu não faço um post assim e não sei porque, pois acabei de divertir bastante escrevendo e de quebra me sinto mais motivada a ler, acho que vai voltar com tudo, hem?

Metas

Fahrenheit 451 – Bradbury, Ray

Biblioteca Azul – 216 páginas

Meta: 13/05 – 19/05

Sinopse aqui.

Esse foi o livro escolhido para o mês de maio no clube do livro. Comecei com bastante desinteresse, confesso, mas logo nas primeiras páginas fui conquistada.

 

Infinito + Um – Harmon, Amy

Verus – 336 páginas

Meta: 20/05 – 26/05

Sinopse aqui.

Eu já até comecei, mas parei pra dar um pouquinho de atenção pro Fahrenheit 451. Estava atras de uma leitura que me fizesse suspirar e como já tinha lido outro livro dessa escritora e esse tava há bastante tempo na estante, achei tudo ótimo.

 

Sol em Júpiter Salgado, Lola

Harlequim -256 páginas

Meta: 27/05 – 02/06

Sinopse aqui.

Não sei nem explicar a sintonia que senti por esse livro. To super ansiosa pra ler esse nacional.

 

Wishlist

Garota Ranho – O’Malley, Bryan Lee; Hung, Leslie, Quinn, Mickey

Quadrinhos na Cia. – 136 páginas

Sinopse aqui.

Supernormal – Neschling, Pedro Henrique

Paralela – 200 páginas

Sinopse aqui.

 

Em Pedaços – Layne, Lauren

Paralela – 176 páginas

Lançamento: 28/05

Sinopse aqui.

 

Um De Nós Está Mentindo – Fazia tempo que eu andava querendo ler um mistério juvenil no estilo Mentirosos. A editora fez bastante alvoroço em torno do lançamento de Um De nós Está Mentindo e no instagram não se falava em outra coisa, afinal quem não se interessaria pela história de cinco jovens, seus segredos e uma morte dramática?

Antes de explicar melhor e da minha opinião, gostaria de dar alguns conselhos:

  1. Não pesquise esse título na internet, tá cheio de spoilers (sou fã de spoiler, mas nesse caso não tem graça.);
  2. Se você não gosta de clichês, foge;
  3. Há muitas comparações com o seriado Riverdale. Se você gosta, esse é o seu momento.

Há coisas que são impossíveis de serem desfeitas, não importa o tamanho das boas intenções.

A História

Cinco alunos entram na sala de detenção da escola, todos os protagonistas são clichês: Bronwyn, a nerd; Nate, o rebelde; Cooper, o atleta; Addy, a beldade e Simon, o fofoqueiro. Já no inicio da detenção tudo parece estranho e logo em seguida Simon morre de uma maneira super esquisita fazendo com que os quatro colegas se tornem os principais suspeitos. Apesar das diferenças, todos eles tem algo em comum: segredos que seriam revelados por Simon no dia seguinte a sua morte repentina.

A morte misteriosa de um estudante do ensino médio. Quatro colegas de turma com segredos. Quando a polícia não chega a lugar algum, o que virá a seguir? – página 193

Enquanto as investigações correm e os quatro alunos tentam entender o que aconteceu, seus segredos começam a ser revelados, criando uma nuvem de mistério e incerteza em relação a tudo, mas a principal pergunta é: Quem Matou Simon?

Minha Opinião

Gostei bastante de todos os personagens, mas o meu favorito sem dúvida nenhuma é o Cooper. Amei o o fato de a escritora ter explorado muito bem todos os pontos de vista e as particularidades de cada personagem sem deixar o livro longo, confuso ou chato.

Algumas pessoas são tóxicas demais para viver. Simplesmente são. – página 103

Demorei um tempo para saber quantas estrelas dar, mas cinco estrelas me parece correto porque 1) eu sabia onde estava me metendo, 2) sabia que por causa do alvoroço da internet eu colocaria muitas expectativas que não se supririam.

Li rapidinho e apesar de ter gostado do desfecho, no final acabei achando umas coisas bobinhas e senti que a escritora quis incluir uns personagens e motivos nada a ver, mas ok, não estragou a experiencia.

Um De Nós Está Mentindo

Autor: Karen M. McManus

Ano: 2018

Número de Páginas: 384

Editora: Galera Record

Minha nota: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

Oi gente! Estava morrendo de saudades de ler uma coisinha gostosa, sem grandes pretensões, sabe? Dei quatro estrelas porque estava muito ciente de onde estava me metendo. Mais Que Amigos é um clichê de primeira, mas nem por isso deixou de ser divertido.

“E se o cara certo… estiver bem na minha cara?” pág. 70

Ben é mulherengo e se orgulha bastante disso, ele é o oposto da sua melhor amiga Parker, que namora há um bom tempo. Parker e Ben batem no peito ao dizer que são só bons amigos e nada mais, eles até dividem o mesmo apartamento, brigam por causa das toalhas e fazem compras juntos na Ikea. Tudo muda quando Parker fica solteira e resolve que nada melhor do que seu melhor amigo para ajudá-la a superar esse fim.

“Ben e eu em uma relação de desapego? Pois é. O apego decidiu dar as caras. E estou totalmente à mercê dele.” pág. 130

Ben é o típico machista de New Aldut, me irritei muito com algumas atitudes dele. E Parker é a típica mocinha sonsa, não senti muita atração por eles como pessoas separadas, mas formaram um casal fofo. Esse não foi o motivo que me levou a tirar a estrelinha da vitória suprema, eu só achei que a autora podia ter trabalhado um tiquinho mais as fragilidades do Ben antes de criar o conflito.

“Química é como todo o resto na vida. Quanto mais você procura, mais difícil fica encontrar.” pág. 69

Por falar em conflito, essa é sempre a minha parte favorita dos livros, infelizmente está sempre no final rs, mas eu amei demais essa parte específica. Sobre a capa adorei as cores, o casal da fotografia não retrata muito bem os personagens, mas acabei gostando mesmo assim.

“Quando encostei em você… eu desmoronei.” pág.212

Recomendo, é uma leitura delicinha e super rápida.

 

Mais Que Amigos

Autor: Lauren Layne

Ano: 2018

Número de Páginas: 256

Editora: Paralela

Minha nota: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

Eu tenho esse livro há tento tempo! Vivia enrolando até que resolvi encarar a fera…

Belly, sua mãe e seu irmão mais velho Steven, passam todos os verões com Susannah e seus dois filhos: Conrad e Jeremiah. Jeremiah é o mais novo, um menino doce e divertido, ao contrário do mais velho Conrad que é calado e misterioso e também o responsável por fazer o coração de Belly bater mais forte, mesmo que a reciproca não seja verdadeira.

Belly faz  o melhor que pode para mascarar seus sentimentos ao ficar com o carismático Cameron… Mas é ai que alguns sinais dos sentimentos de Conrad começam a aparecer.

 

Minha Opinião

O Verão Que Mudou Minha Vida é o primeiro de uma trilogia que, infelizmente, não vou continuar. Pensa numa protagonista insuportável e multiplica por dois. Belly é mimada, infantil e sinceramente não entendo como alguém se apaixonaria por alguém tão imatura.

A história é rapidinha, não senti nenhuma emoção ou friozinho na barriga. É um monte de coisas acontecendo sem motivos, talvez a autora tenha deixado pra desenvolver melhor nos outros livros, mas eu jamais saberei.

A escritora ainda tentou criar um triangulo amoroso, mas até isso ficou pela metade… Recomendo só se você não tiver absolutamente nada melhor pra fazer ou se quiser só ler por ler mesmo, pois não acrescenta em nada.

 

O Verão Que Mudou Minha Vida

Autor: Jenny Han

Ano: 2011

Número de Páginas: 288

Editora: Galera Record

Minha nota:

 

Com amor, Simon é a adaptação do livro Simon Vs A Agenda Homo Sapiens, saca a resenha do livro aqui.  Já posso começar dizendo que, pra mim, o filme é 10/10.

Simon tem 16 anos, uma família super cool e amigos incríveis. Mas também tem um segredo que só compartilha com o misterioso Blue através de e-mails: ambos são gays e ainda não estão prontos para se assumir.

Uma das partes mais legais é quando Simon não consegue entender porque precisa sair do armário. Afinal de contas, nenhum dos seus amigos héteros precisou reunir a família pra falar: alô, estamos todos aqui porque preciso dizer que sou hétero.

O problema é que o mala sem alça da escola flagra os tais e-mails e começa a chantageá-lo… E é ai que as coisas começam a se apertar.

Minha Opinião

Me diverti muito com o filme, mas chorei também. Consegui me emocionar junto com os personagens. Tenho certeza absoluta que foi um filme muito importante para quem passa/passou pela mesma situação.

Amei o quarto do Simon, mas senti falta de algumas características que foram muito citadas no livro e que daria 0 trabalho pra colocar no filme, como o fato de Simon ser viciado em Oreo (até rolou, mas bem sutilmente) ou o gosto musical perfeito do personagem…

No geral, achei bem fiel ♥

Ficha Técnica

Título Original: Love, Simon

Distribuidor: Fox Film do Brasil

Ano De Produção: 2017

Tipo De Filme: Longa-Metragem

Nota IMDB: 8,1 / 10

Minha Nota: 10 / 10

tags:

@blogantesdascinco