Antes das Cinco Estante
Menu

Oi oi! Gente, tô querendo muito falar sobre Por Trás De Seus Olhos com vocês, mas é aquela coisa, né?

Não dá pra falar muito sem entregar a trama, vou tentar ser sucinta e ainda despertar a curiosidade de vocês. Sério, você PRECISAM levar esse tiro junto comigo.

Uma das narradoras é Adele, ela é linda, jovem e casada com o psiquiatra David. Quando Adele era adolescente seus pais morreram em um triste incêndio e ela sofre desde então com distúrbios de sono.

Isso faz com que David prescreva remédios para a esposa e a coloque em constante vigilância. No livro, vemos o cotidiano de Adele e vislumbres do seu passado.

A outra narradora é Louise, mãe do pequeno Adam. Ela leva uma vida rotineira desde que o marido a traiu e a trocou pela amante.

Em uma noite, ela encontra um homem interessante no bar, eles se beijam, mas logo ele a afasta, apenas para descobrir no dia seguinte que ele é o psiquiatra que atende no seu novo emprego.

A história se desenrola de modo que Louise se envolve com David ao passo que cria um forte laço com Adele, graças uma coisa em comum: os terrores noturnos.

Minha gente… Eu demorei um pouco para entrar na história, mas depois que peguei o ritmo, rapaz… Fui entender o que estava acontecendo faltando cem páginas para acabar. Achei interessante, mas quando tava faltando três páginas, eu levei o maior tombo do universo (sério, chega me tremo toda só de lembrar). QUE FINAL MARAVILHOSO.

Eu pensei várias coisas para justificar as atitudes das protagonistas, mas não cheguei nem perto. Se você gosta de histórias bem realistas talvez se incomode um pouco, eu adorei a criatividade e a forma como tudo fugiu do clichê.

A capa é muito bonita e até fugindo um pouco da resenha, os livros da Intrínseca são muito cheirosos (sim!).

“Três pessoas podem guardar um segredo, se duas delas estiverem mortas” – Benjamin Franklin

 

Por Trás De Seus Olhos

Sarah Pinborough

Ano: 2017

Páginas: 352

Editora: Intrínseca

Minha nota: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ 

Oi gente! Olha só que capa fotogênica! Diário em Tópicos é um guia maravilhoso sobre Bullet Journal.

Vou dividir essa resenha em duas partes, a primeira será para iniciantes e a segunda para os que já estão na estrada. Acho que a leitura tem utilidades diferentes para cada tipo de leitor.

Ah e se vocês puderem ler até o final, vou ficar muito feliz pois tenho uma novidade (e um convite super legal) para contar.

A diagramação é impecável. A capa maravilhosa não é dura, mas é mais durinha que as convencionais e vem com uma fitinha de cetim para marcar as páginas. As folhas são coloridas e ilustradas com uma paleta de cores pastéis de tirar o fôlego.

 

Iniciantes

Primeiro, calma! Respira fundo… Preparados? Acho que esse é o livro mais completo que você vai encontrar sobre o assunto, pois engloba desde os primeiros passos básicos até ideias para você incrementar o seu diário.

No começo, você pode ficar confuso, perdido e até mesmo desmotivado com seu Bullet Journal, mas entenda que é perfeitamente normal, mesmo com esse guia em mãos. O Bujo é um eterno erra e acerta, há tentativas frustradas e as que viram sucesso, não se apresse, você consegue.

Aconselho fazer a leitura calmamente, observando bem as imagens, pois o livro cita muitos exemplos da mesma coisa e você pode ficar confuso. O importante é você fazer as coisas no seu tempo.

As páginas são lindas, bem explicadas e há ilustrações como exemplo por toda a parte. Diário em Tópicos vai te ajudar a descobrir um pouco mais sobre si mesmo, é testando que você aprende o que funciona ou não pra você.

 

Amantes de longa data

O livro é sem dúvida nenhuma maravilhoso e pode ajudar com a criatividade e inspiração para novos trackers, por exemplo. Só não espere encontrar algo muito revolucionário, provavelmente você já viu o que está escrito no livro em outros lugares. O legal é que ensina várias formas diferentes de fazer as coisas, eu me senti bem inspirada.

É uma aquisição que vale a pena para aqueles momentos que sua criatividade vai passear, sabe? E é um ótimo guia inspirador, eu mesma fui contagiada.

 

EDITADO!

Novidade

A novidade que eu queria contar é que dia 27 de agosto às 16h,eu vou estar na Leitura Palmas falando um pouco sobre a minha caminhada com o Bullet Journal, dando dicas e tirando dúvidas, além de brincar um pouquinho de Lettering. Além disso, haverão sorteios de mimos muito bacanas! E ai, vamos?

Ouvi falar de O Sorriso Da Hiena porque um tempo atrás o livro explodiu, pra todo lugar que eu ia, ele estava: insta, face, youtube… A maioria das críticas para ele são ótimas e como eu já estou sob o encanto do Raphael Montes, fiquei bastante animada por ter outro brasileiro seguindo esse caminho e sendo bem-sucedido.

Fiquei bastante animada no começo com a cena chocante que me foi apresentada. David tinha apenas oito anos quando presenciou o assassinato brutal de seus pais, a mãe levou um tiro na cabeça e o pai teve a língua arrancada com um alicate. Vinte e quatro anos depois, David inicia sua própria missão com a ajuda do renomado e inquieto psicólogo William. Ele almeja descobrir o quão impactante foi para sua personalidade ter assistido a morte dos pais, por isso escolhe cinco crianças com diferentes tipos de vida para assistir os pais serem assassinados, assim como aconteceu com ele.

William leva um vida pacata, mas anda incomodado com o rumo que sua carreira está seguindo. Depois de ter publicado uma tese de doutorado sobre as possíveis consequências de acontecimentos traumáticos na vida de crianças que lhe rendeu reconhecimento na psicologia infantil, ele sente falta de ver como esse estudo funciona na prática. A proposta que aparece em seu e-mail o deixa inquieto, pois tratá-se de uma oportunidade para fazer um estudo que pode ajudar entender o desenvolvimento da maldade humana, de maneira significativa longe de hipóteses e teorias, com casos reais.

E atrás de tudo isso, um personagem muito interessante, o detetive com síndrome de Aspenger Arthur.

É possível justificar o mal quando há a intenção de fazer o bem?

Eu fiquei pensando se eu queria escrever essa resenha porque nossa, não sei! Todo mundo falou bem horrores e acontece que eu não concordei tanto assim, tipo achei que faltou umas coisas e olha que eu não sou muito de dar atenção para Ficção X Realidade que é a reclamação que mais vi sobre cenas que fugiram muito da realidade, a verdade é que o livro é legal porém superficial.

“A maioria das pessoas acha que aquele som é uma risada, mas os pesquisadores chegaram à conclusão de que hienas de menor posição hierárquica no grupo, hienas dominadas, hienas frustradas, emitiam mais alto esse som que parece uma “risada”. Às vezes damos a impressão de que gostamos de alguma coisa, quando na verdade só estamos com medo, com dor, com fome. Não tem nada de engraçado em ser um animal carniceiro que que alimenta do que sobrou dos mortos.”

O primeiro fato que me incomodou foi a total ausência de pudor do William. Alooou querido, por mais que você queira fazer seu trabalhinho lá bonitinho, você deveria levar em consideração que crianças estão ali sofrendo, nem de primeiro impulso o cara se atentou a isso, por mais que essa fosse a discussão principal do livro, achei que ele podia ter trabalhado mais no dilema…

O David é um personagem que, né? Senti falta de conhecer mais sobre o assassino, gente! O que a gente sabe sobre ele é basicamente isso: ele viu os mais serem assassinados, se considera um monstro e mata pais de crianças de oito anos… E por falar em crianças, queria tanto mais detalhes sobre elas, sobre a terapia e tudo mais 🙁

O detetive Arthur foi o que mais agradou (a amiga dele Bete também, mas ele aparece tão pouquinho que não vale a citação…) Porém, apesar de já ter convivido com um pessoa com síndrome de Aspenger, sempre acho difícil julgar se essas coisas são compatíveis com a realidade, mas o fato é que eu gostei, apesar de depois começar achar ele um personagem até demais, caricatinho, sabe?

“– O mal nada mais é do que um buraco que quer desesperadamente ser preenchido, detetive.”

Eu gostei do livro, porém acho que o escritor tinha um material muito bom que foi pouco explorado, entende? Se ele lançar outro trabalho, quero muito ler pois sinto que ele tem bastante potencial e criatividade.

Ficha do Livro

Título: O Sorriso da Hiena

Autor: Gustavo Ávila

Editora: Verus

Número de páginas: 266 páginas

Minha nota: ♥♥♥♥

Oi oi oi! Vamos de nacional dessa vez: Mentira Perfeita. Esse é o primeiro livro que leio da escritora e é um spin-off de Procura-se Um Marido. Antes de começar, devo dizer que amei a escrita da Carina Rissi. Ela faz parte do time que veio pra provar que temos escritores contemporâneos excelentes no nosso país.

A tia Berê está com a vida por um fio, e Júlia não quer que a tia se preocupe com nada. A única coisa com qual a tia Berê se preocupa é com o fato de a sobrinha não ter um namorado. Júlia acaba inventando um namoro digno dos melhores livros de romance, mas ninguém esperava que a tia Berê fosse levar isso tão a sério.

Marcus é uma cara que leva a vida tranquilamente, depois de um acidente que tirou o movimento de suas pernas,ele deixa seus sonhos em suspenso e foca em fisioterapia para conseguir voltar a andar e seguir com sua vida normalmente.

Enquanto isso não acontece, ele decide que precisa ser independente  e pretende se mudar do apartamento em que mora com o irmão. Isso causa um alvoroço na família Cassani, que só concordará com a decisão do caçula se ele encontrar um cuidador para auxiliá-lo.

Júlia precisa de um noivo fake e Marcus de uma cuidadora fake, é só juntar 2 e 2  e nossa história está montada.

 

Eu achei a construção do romance muito boa, porém achei o livro desnecessariamente longo. A nota 4 é porque pra tudo o que eu achei bom, logo em seguida vem um mas, sabe?

Achei algumas cenas repentinas, daquelas que você tá lendo despreocupadamente e de repente não entende o que ta acontecendo e isso me incomodou.

Gostei bastante do Marcus, o fato de ele ser cadeirante foi bem construído e pesquisado e ele tem um carisma muito bom. A Julia é meio pamonhinha, mas gostei dela também e até chorei quando o fato de ela sentir necessidade de ser boa em tudo foi exposto pelo seu melhor amigo Denis. A Tia berê é uma figura, acho que não existe ninguém da vida real tão arteira igual essa senhora divertida, mas ok.

 

Deu pra perceber que a Carina é bem maluquinha, ela escreve despreocupadamente e isso é o tempero da história. Gostei bastante.

Ficha do Livro

Título: Mentira Perfeita

Autor: Carina Rissi

Editora: Verus

Número de páginas: 462 páginas

♥ Minha nota para o livro: 4 / 5 estrelas

Gente, vou começar a resenha de A Química Que Há Entre Nós citando um fato: Eu AMEI essa leitura.

Havia um alvoroço na internet em volta desse livro de capa linda, mas de cara não me chamou atenção. Quando chegou na loja comecei ler despretensiosamente e BOOM! Sabe quando o livro te pega na primeira página? Mágico demais.

 

Em A Química Que Há Entre Nós, Grace Town é uma garota pra lá de esquisita. Ela usa roupas de garoto, parece estar sempre suja e carrega sua bengala pra cima e pra baixo, além de fazer perguntas nada convencionais.

Henry Page é o completo oposto E EU AMEI ESSE GAROTO. Seu humor auto-depreciativo e sarcástico fez com que eu me apaixonasse por ele na hora. E ele foi tão honesto a respeito de tudo e fiel aos seus sentimentos que não teve como deixar pra lá.

Ele não tem medo de correr riscos, mesmo sabendo que o romance está fadado ao fracasso e que tudo é confuso em relação a Grace Town, ele permite se jogar de cabeça.

 

Eu gostei de TODOS os personagens, eles estavam em uma vibe muito boa.

Grace não pede desculpas por ser quem ela é, embora na maioria das vezes tenha sido cruel.Você sente vontade de pegá-la e dar um abraço bem apertado. Ela é incrivelmente inteligente e seu senso de humor ácido faz com que eu a queira como amiga.

Às vezes a gente fica triste pelas atitudes que ela toma. Não a enxerguei como uma pessoa má, e sim como uma pessoa ferida que estava tentando se salvar.

Henry é um herói totalmente as avessas. Eu adorei cada idiotice e cada um dos seus pensamentos.

Engraçado que os motivos que me levaram a amar Henry Page são o extremo oposto dos que me levaram a amar Grace Town e deu certo.

 

Os melhores amigos de Henry, Lola e Munray são geniais! Meu Deus! E a família? Socorro, realmente não posso continuar falando sobre. Mas te garanto que é um livro triste, romântico, dramático e engraçado, tudo ao mesmo tempo.

 

 

Ficha do Livro

Título: A Química Que Há Entre Nós

Autor: Krystal Sutherland

Editora: GloboAlt

Número de páginas: 272 páginas

♥ Minha nota para o livro: 5 / 5 estrelas

tags:

Eu sou uma pessoa financeiramente irresponsável, isso significa que eu gasto demais com coisas idiotas. Então, um dia acordei e pensei: eu sou uma pessoa tão organizada (cof cof) por que não começar organizar essa área da minha vida também? Fiz algumas pesquisas e cheguei ao livro escrito pela Denise Damiani: Ganhar +, Gastar -, Investir ✔- O livro do dinheiro para as mulheres.

Eu tenho muitas coisas para falar sobre esse livro, por isso vou fazer uma série de posts. Hoje vamos lá no comecinho mesmo:

Quem  é Denise Damiani e por que ela pode falar com propriedade sobre finanças?

A Denise é formada em engenharia de sistemas digitais e fundou a primeira empresa de home banking do Brasil. Quando ela foi CDO (Chef Diversity Offficer) na Accenture, que é a maior empresa de consultoria do mundo, além de ser um player global no setor de consultoria de tecnologia, ela foi a responsável por transformar, em seis anos, os míseros 3% de sócias mulheres para 30%. Hoje ela tem a própria consultoria, é conselheira de administração e ativista dos direitos das mulheres, se dedicando ao emponderamento feminino por meio da inteligencia financeira.

Por que eu quis falar sobre a escritora? Quando comprei o livro e minhas colegas de trabalho chegaram na parte do título que diz: O livro do dinheiro para mulheres, elas me olharam meio torno e acharam o título machista. Pois é, as pessoas já me olharam torto só pelo título, como se ler um livro de finanças para mulheres fosse algum tipo de crime. Mas…

Por que existe um livro de finanças só para mulheres?

Em um resumo bem rápido, até mesmo porque vocês precisam MESMO ler esse livro: Em pesquisas, quando somos comparadas aos homens, nós ganhamos menos, gastamos mais (em especial porque gastamos muito tempo e energia cuidando dos outros) e investimos menos e pior…

 

 

Ainda explicando porque a nossa relação com dinheiro é tão complicada, Damiani fala um pouquinho sobre como em nossa cultura falar sobre dinheiro é tabu, isso associado com a nossa falta de educação financeira gera o que a escritora chama de armadilhas mentais. Algumas dessas armadilhas são o pensamento mágico, o mito do príncipe encantado, o falso dilema e os que me causam arrepios:

O Complexo da boazinha:

“As boazinhas são prestativas e fazem tudo para agradar; não titubeiam em deixar de lado suas tarefas ou prioridades para ajudar o outro. Não chamam atenção para si: não levantam a voz, não brilham além da conta, não exigem muito. Sobretudo as boazinhas não incomodam: aceitam sem reclamar o que lhes é oferecido e ainda agradecem! E, claro, não falam em dinheiro porque é feio ou deselegante.”

A Síndrome da fraude (síndrome da impostora):

“Por mais competentes que sejamos, achamos que sabemos menos do que deveríamos, que não somos boas o suficiente.”

 

Colisão de domínios:

“Confundir questões emocionais com questões financeiras é uma clássica colisão de domínios que as mulheres praticam sem perceber.”

 

Nesse primeiro post, gostaria de deixar claro que com esse livro aprendi muito mais sobre emponderamento do que sobre dinheiro. E sinceramente? Me enriqueceu bastante. Em nenhum momento, me senti mal ou pesada com a leitura, era como se a cada página um pedacinho meu fosse revelado e ficasse exposto para uma melhora constante. Inclusive, há uma lista de combinados cujo o principal objetivo é fazer com que você não se sinta culpada pela situação em que está hoje em dia, dando um suporte (uma planilha maravilhosa) para você começar reverter suas complicações financeiras. Não importa quanto você ganha e sim como você gerencia seu dinheiro – e você deve falar sobre isso sim!

Essa semana li essas duas matérias: Uma sobre Síndrome da Impostora e  a outra sobre Sexismo nas empresas. Vale a pena e você pode ler aqui e aqui, respectivamente.

Espero que vocês invistam mesmo nesse livro e fiquem ligadas no próximo post sobre ele! Beijos e espero vocês!

Oi gente, tudo bem com vocês? Em janeiro eu consegui fazer uma leitura extra e é por isso que estamos aqui hoje, para conversar sobre Um Caso Perdido da Colleen Hoover. Esse livro passou muito perto de me decepcionar mas acabou se revelando uma surpresa muito agradável. O título em inglês é hopeless e acredite, esse é um fator relevante no quebra cabeça.

Sky é uma garota que foi educada a vida inteira em casa pela mãe que é totalmente anti-tecnologia. À noite ela permite que alguns garotos invadam seu quarto para uma sessão de amassos, mas não importa o quão lindo esses garotos sejam, ela não sente absolutamente nada por nenhum deles. Em seu último ano, ela vai estudar na escola regular, e é lá que ela vê pela primeira vez Dean Holder e a conexão entre eles é imediata,  Sky e Holder são cheio de segredos e ao serem revelados, suas vidas mudam drasticamente.

 

Como eu já disse ali no primeiro parágrafo, esse livro passou muito perto de me decepcionar. No começo, Um Caso Perdido é morno e até irritante, a história inteira parece desconectada e a gente não consegue enxergar onde tudo aquilo pode dar. Vemos apenas dois protagonistas explosivos que não conseguem se dar bem e que não tem nada a ser explorado.

Do meio pro final é que as coisas começam a acontecer e tudo fica surpreendente, triste, dramático e bonito, tudo ao mesmo tempo. Fiquei angustiada, prendi a respiração, sofri junto e até chorei. Não me apaixonei por Holder e Sky e sim pela a história deles. Um Caso Perdido não é o meu livro favorito da escritora, longe disso, mas não posso negar que fiquei emocionalmente sentida e que com certeza lerei a versão do Holder no livro chamado Sem Esperança.

 

Se alguém tiver lido, deixe sua opinião ai nos comentários!

Beijos e até a próxima.

 

Ficha do Livro

Título: Um Caso Perdido – Hopeless

Autor: Hoover, Colleen

Editora: Galera Record

Número de páginas: 384 páginas

♥ Minha nota para o livro: 4 / 5 estrelas

Oi pessoal! A minha lista de leituras de fevereiro continua seguindo bastante interessante e agradável, estou adorando essa nova fase de auto-conhecimento!

Em janeiro eu consegui fazer uma leitura extra e espero conseguir fazer o mesmo esse mês. Como perdi a primeira semana, coloquei como meta  ler apenas três livro, mas se tudo der certo, vou tentar ler quatro. Simbora?

 

Ganhar, Gastar, Investir. O Livro do Dinheiro Para Mulheres 

Ando em uma fase de reflexão sobre a minha vida (será a idade chegando, meu Deus?)  e uma das áreas mais desajustadas é a financeira.

Li ótimos comentários sobre esse livro e logo nas primeiras páginas descobri que não só posso aprender a cuidar dos meus ganhos, como a tomar as rédeas de outros aspectos da minha vida. Essa vai ser uma resenha muito interessante.

 

O Ano Em Que Disse Sim

Eu sou muito viciada em Grey’s Anatomy e quando descobri que a Shonda tinha escrito esse livro, fiquei ansiosa para conhecer um pouco mais sobre essa mente genial.

Li uma resenha que reforçou ainda mais esse desejo, pois conta como a Shonda aprendeu a dizer sim para varias coisas, mas o mais importante: como ela aprendeu a dizer sim ao não.

 

Sem Esperança

Em janeiro rolou uma leitura extra. Um Caso Perdido (em breve, resenha)  pareceu que não ia dar em nada, mas de repente eu não conseguia parar de pensar na ideia de ler Sem Esperança, que é o ponto de vista de um dos protagonistas.

 

Bônus: Em Busca de Cinderela

E se der tempo, eu quero ler esse spin-off que é bem curtinho e também faz parte da série Hopeless (Um Caso Perdido e Sem Esperança).

 

E ai, o que você achou? Conta pra mim a sua lista para janeiro!

Beijos e até a próxima!

Oi gente! Umas semanas atrás, eu estava no face quando vi uma das minhas amigas falando sobre um programa de desintoxicação alimentar. Ela havia ficado trinta dias sem ingerir refrigerante, bebidas alcoólicas, açúcar e outras coisinhas e estava se sentindo ótima. Uma as hashtags me chamou atenção e resolvi pesquisar o termo Whole30 e foi ai que descobri que tinha um livro inteirinho sobre o assunto.

Funciona mais ou menos assim, de acordo com o livro existe determinados grupos de alimentos que podem causar impacto negativo na sua vida (sim, vida! Na sua composição corporal, saúde e qualidade de vida). Para descobrir quais são esses alimentos, o programa propõe que você elimine por trinta dias da sua dieta, grupos de alimentos que conforme a ciência ou nossa experiencia já demonstraram, promovem hábitos e desejos alimentares nada saudáveis, prejudicam o metabolismo, danificam o trato digestivo e sobrecarregam o sistema imunológico.

Passado os trinta dias, você pode voltar (ou não) a reintroduzir esses alimentos, observando os impactos causados sobre as compulsões alimentares, o humor, níveis de energia, o sono, o sono, a digestão, entre outros.

No livro, é possível encontrar uma lista com várias doenças que podem ser causadas pela ingestão desses alimentos, a lista de alimentos proibidos ou não, as regras para seguir o programa, como dar os primeiros passos, como o seu corpo deve reagir a eliminação dos alimentos, como reintroduzir os alimentos após os trinta dias, um compilado de dúvidas frequentes e suas repostas, enfim. Tudo o que você imaginar, tem no livro. Eu amei, achei super completo e sanou todas a minhas dúvidas.

Embora eu tenha achado todas as informações muito bem passadas e tenha gostado de ler tudinho, o que mais me pegou foram as receitas. Quando li a palavra “eliminar grupos de alimentos” já pensei: Putz, vai ser muito difícil. Mas as receitas são simples, bonitas e o mais importante: acessíveis. Fáceis de fazer, com produtos encontráveis em supermercado, sofisticadas e baratas. Fechou com chave de ouro.

O livro é lindo e colorido e as fotos das receitas são de babar. Indico demais e quando eu conseguir fazer o programa, venho detalhar a minha rotina aqui pra vocês. Combinado?

Ficha do Livro

Título: 30 Dias Para Mudar – Whole30

Autor: Hartwig, Melissa e Dallas

Editora: Sextante

Número de páginas: 416 páginas

♥ Minha nota para o livro: 5 / 5 estrelas

Como vocês já sabem estou passando pela transição capilar. E quando eu me dei conta do que estava acontecendo, percebi que não sabia muito bem o estava fazendo e quais seriam os próximos passos. E ai entra o Livro dos Cachos na minha vida. Esse livro de capa vermelha e cacheada foi um salva-vidas nessa fase tão complicadinha do processo. A Sabrinah Giampá conta a história do seu cabelo, que no final acaba tendo o mesmo enredo da história da maioria das cacheadas: você aprende desde pequena que ter o cabelo cacheado é algo errado e que precisa ser domado.

Não estou achando a transição uma coisa fácil, porém O Livro dos Cachos facilitou alguns fatores pra mim, explicando porque a escova progressiva é uma vilã e dando significado aos termos que vi na internet e que não fazia a minima ideia do que aquelas palavras queriam me dizer. Vamos a algumas delas:

Big Chop

Grande Corte é a tradução para Big Chop. Esse corte acontece quando você decide que quer voltar a ter os fios naturais o mais rápido possível, vai lá, passa a tesoura e às vezes até raspa. A história do big chop é muito bacana, pois foi um movimento norte americano em que as mulheres negras se uniram contra a ditadura da beleza e rasparam seus cabelos quimicamente tratados para que eles pudessem crescer junto com sua autoestima que esteve perdida por anos. Inspirador, não?

Transição Capilar

A transição é o que acontece quando você não opta pelo big chop, apenas vai deixando os fios crescerem naturalmente ficando com metade do cabelo natural, mas ainda sem definição e a outra metade quimicamente tratada. É por esse processo que estou passando e é horrível ter o cabelo com duas texturas 🙁

Low poo / No poo

Entrar no banho e encher o cabelo de espuma pra ele sair bem limpinho, quem nunca? A técnica Low poo (pouca espuma) e No Poo (nenhuma espuma) vem para nos mostrar que espuma não é sinônimo de limpeza. Toda aquela espuma presente na maioria dos shampoos que nós usamos é cheia de sulfato, um produto bem baratinho que também é usado em detergentes e outros produtos de limpeza, e que limpa literalmente tudo, inclusive a camada de proteção dos nossos fios, por isso eles ficam ásperos daquele jeito após a lavagem, nos obrigando a usar o condicionador. O creme nosso de cada dia também é cheio de um produtinho super barato na industria: o petrolato. Esse produto apenas maquia o fio e tem zero poder hidratante.

A rotina No Poo propõe que usemos apenas balsamos limpantes e nada de petrolatos e silicones. A rotina Low poo é um pouco menos restritiva, permitindo o uso de shampoos em que os sulfatos não sejam tão agressivos, mas assim como na No Poo petrolatos não são permitidos.

Co-Wash

É um condicionador próprio para lavar os fios. Essa técnica está muito presente nas rotinas Low Poo e No poo, mas atenção! Esse processo deve ser feito apenas com produtos livres de petrolatos e silicones, caso contrario pode causar caspas e outras doenças no couro cabeludo. Eu faço e amo!

Com todas essas explicações fica mais fácil de você se conhecer e entrar no processo. Imagina você se olhar no espelho e ver algo diferente do que você viu nos últimos dez anos e não se identificar com o seu próprio reflexo? Deprimente né? É assim que me sinto na maioria dos dias, mas continuo porque sei que esse é um passo muito grande para a minha autoaceitação. Eu nasci com o cabelo cacheado e não tem porque eu odiar isso. O livro mostra pequenos relatos de meninas e meninos que sofrem preconceitos, mas que nem por isso desistiram de abraçar seu real ser. <3

Indico demais, principalmente pra quem está seguindo esse caminho.

Ficha do Livro

Título: O Livro dos Cachos

Autor: Giampá, Sabrina

Editora: Paralela

Número de páginas: 144 páginas

♥ Minha nota para o livro: 5 / 5 estrelas


@blogantesdascinco