AGORA E PARA SEMPRE, LARA JEAN
14.08.2018

Chegou o final da trilogia que mais me fez feliz esse ano 🙁  Mas vamos lá. Fazendo um resumo bem breve da série inteira, é muito fácil amar Para Todos Os Garotos Que Já Amei, só por ele existir; apesar de ter ficado chateada com várias coisas em P.S.: Ainda Amo VocêAgora e Para Sempre, Lara Jean foi o livro que encerrou com chave de ouro. A trilogia é muito completa.

Acho que isso também é parte de crescer, ter de despedir de coisas que você amava.

É muito fácil gostar da Lara Jean, ela é muito fofa, me identifico com seu jeito de tentar fazer as coisas serem especiais, além de ser uma personagem real com problemas reais.

Eu fiquei magoada com Peter, mas sou muito grata por a escritora não ter mudado ele. Era um esforço enorme ficar me lembrando que ele só tem dezessete anos, mas gostei muito de ele não ter amadurecido, conforme eu queria. Peter continuou mimado, mesmo que estivesse me incomodando, porque é o jeito dele mesmo, um menino que não arruma nem a cama (oi, Babi!).

Ser vulnerável, deixar pessoas se aproximarem, se magoar… tudo isso é parte de estar apaixonado.

Todos tiveram fim. Quando os personagens pararam de ser relevantes, eles simplesmente saíram de cena, sem drama, sem ficar tentando incluir. Os personagens saíram na hora que tinham que sair e pronto. As coisas, na verdade, são assim.

O que eu mais amei no personagens é que eles eram o que eram e não se desculpavam por isso. Todo aquele papo que eu já falei aqui um milhão de vezes sobre personagens reais. Cada um com suas particularidades, defeitos e perfeições. Mas, pra mim, a série não tem defeitos.

Nós fazemos nossa própria sorte.

Espero que vocês tenham gostado, se não leram ainda, corre! O filme vai ser lançado sexta-feira (17/08) na Netflix.

Agora E Para Sempre, Lara Jean

Autor: Jenny Han Ano: 2017 Páginas: 304 Editora: Intrínseca Nota: 5/5

 

É assim que acontece? Você se apaixona e nada mais parece assustador, e a vida é apenas uma grande possibilidade?

P.S.: AINDA AMO VOCÊ
12.08.2018

Contém spoiler do livro anterior, Para Todos Os Garotos Que Já Amei.

Nessa altura do campeonato na saga amorosa de Lara Jean você já deve imaginar que ela e Peter K. transformaram o namoro de mentirinha em um de verdade. E todo aquele processo de conhecer o outro, de aprender a namorar de verdade começa. Só que a ex do Peter, Gen, fica rondando e e essa parte me deixou p. da vida.

– Lara Jean, acho que você meio que se apaixona por todo mundo que conhece. Faz parte do seu encanto. Você esta apaixonada pelo amor.

O Peter me desanimou demais, ele ficou criando caso com um segredo da Gen que deixava a Lara Jean enciumada. Além do mais, ele ficava “meu treino, bláblá, minha vida” e não fazia absolutamente nada por ela. Tudo por causa de um segredo totalmente desnecessário.

Sei agora que não quero amar e ser amada pela metade. Eu quero tudo, e para ter tudo, você precisa arriscar tudo.

Por falar em segredo desnecessário, eu fiquei muito chateada porque o livro ficou focando nessa coisa besta, em vez de ter trabalhado em um assunto que me chamou bastante atenção. É que a Lara Jean e o Peter brigam e eles se reconciliam em um ofurô, é tudo bem inocente, só que eles são gravados sem saber e esse vídeo vaza como se fosse uma história de amor tórrida e ardente.

A sociedade está sempre pronta para envergonhar a mulher por gostar de sexo e aplaudir o homem.

Fiquei triste com a Lara Jean porque ela ficou o tempo todo se reprimindo pra não magoar o bonito, sendo que ele tava magoando ela o tempo todo. Mas fugindo do foco desse relacionamento chatonildo, Lara Jean está sendo voluntária em um asilo e eu achei esse núcleo super divertido, impossível não morrer de amores por Stormy.

Esse foi o livro que deu tudo errado, que bateu uma indignaçãozinha, contudo fez eu me apaixonar tudo de novo. Um novo garoto apareceu e eu fiquei doidinha de amores: John Ambrose McLaren. Pensa em um cavalheiro, gente! Ele é a coisa mais linda, inteligente e charmosa desse universo inteiro.

Talvez as coisas muito, muito boas não sejam feitas para durar tanto tempo; talvez seja o que as torna mais doces, o fato de serem temporárias.

P.S.: Ainda Amo Você

Autor: Jenny Han Ano: 2016 Páginas: 304 Editora: Intrínseca Nota: 4/5

O corpo é seu, e é você que tem que protegê-lo e se divertir com ele. Com quem você decide compartilhar a diversão é escolha sua… Você decide quem, até onde e com que frequência, se decidir que sim.

Eu sou apaixonada pela série, porém, esse não é o meu volume favorito.

Beijos e até a próxima

PARA TODOS OS GAROTOS QUE JÁ AMEI
09.08.2018

Ganhei Para Todos Os Garotos Que Já Amei em 2015, mas só li agora por causa da hype do filme e to tão arrependida, deveria ter lido antes! Meu Deus, eu estou muito apaixonada!

O Livro

É o seguinte, Lara Jean é uma romântica incurável que já se apaixonou cinco vezes. Ela vive todas as paixões platônicas intensamente e conforme os sentimentos vão passando, ela escreve cartas sinceras para o s garotos, mas nunca as entrega, ela as guarda na caixa de chapéu que sua mãe lhe deu.  A confusão começa quando as cartas desaparecem e reaparecem nas mãos de seus destinatários.

As cartas me libertam. Ou pelo menos deveriam.

Para Todos Os Garotos Que já Amei é o primeiro volume de uma trilogia e é onde conhecemos a família de Lara Jean.

Os Personagens

Ela tem duas irmãs e mora com o pai, sua mãe morreu de uma forma muito peculiar. Margot é a filha mais velha e está indo pra faculdade na Escócia, conversei com várias pessoas e todas elas odiaram a garota, mas eu não consegui. Margot praticamente criou as meninas e cuidou da casa, teve que amadurecer muito cedo, ela também é namorada de Josh, um dos amores de Lara Jean.

Irmãs deveriam brigar e fazer as pazes porque são irmãs, e irmãs sempre encontram o caminho de volta uma para a outra.

A irmã mais nova é Kitty, no começo eu achei ela muito criancinha pra idade que tem, mas depois acabou virando minha personagem favorita. Cheia de atitude, a garotinha é muito criativa, esperta e inteligente.

E o pai da Lara Jean também é um fofo, ele é ginecologista e é engraçadinho também.

Os Garotos

Agora vamos aos garotos, nesse primeiro livro o foco está em dois deles: Josh e Peter.

Na primeira fala já me apaixonei pelo Josh. Ele conhece as meninas desde criança, é um amigão e a Kitty o ama. Ele é praticamente parte da família e confesso que fiquei morrendo de dó dele.

O segundo garoto é Peter: o popular da escola. Ele é lindo e muito otário, então obviamente eu gostei dele. Adorei seu cinismo e sua esperteza.

Para que uma coisa dê errado de um jeito tão colossal e horrível, tudo precisa acontecer na ordem certa e no momento certo, ou, nesse caso, no momento errado.

O que acontece é que quando as cartas são enviadas, Josh recebe a dele e Peter também recebe uma.

Só que Lara Jean ainda é muito apaixonada pelo Josh, enquanto Peter é paixão vencida, então ela acha que é uma boa ideia fingir namorar Peter para despistar Josh. Peter acaba concordando com a ideia porque ele está doidinho pra passar ciúme em sua ex namorada Gen.

Minha Opinião

A confusão está armada, ahh e esperem passar muita vontade porque Lara Jean é uma cozinheira de mão cheia. Sabe quando um livro te faz feliz e te diverte? Então! Me identifiquei demais com ela, tanto pelo romantismo quanto pelo drama. É muito fácil se apaixonar pelos personagens e isso faz com que a leitura flua e que você devore o livro rapidão. Recomendo! Se você ainda não está convencido, então olha esse trailer maravilhoso:

Autor: Jenny Han Ano: 2015 Páginas: 320 Editora: Intrínseca Nota: 5/5

Me Chame Pelo Seu Nome
02.03.2018

Pensei que não seria necessário fazer a resenha da leitura de Me Chame Pelo Seu Nome, visto que já falei do filme aqui. Mas se fez necessário porque se eu adorei o filme, amei 800% mais o livro que é poesia pura.

É incrível como a leitura é mais magnifica que o visual. Tem tanta coisa sobre o Elio que eu não fazia ideia… Mais uma vez essa história pinicou minha pele e aguçou meus sentidos. Elio é intenso, seu desejo era desesperador, louco, apaixonante…

Eu amei cada angustia e ansiedade, sem dúvidas, um personagem inteligente e lindo, o escritor trabalhou tão bem todas as fases, desde o desejo, passando pela dúvida, o arrependimento, o amor… Eu me senti uma adolescente me apaixonando junto no decorrer da história.

Oliver… Oliver, tão centrado e contido que se deixa levar, coisa mais linda, humor acido, dramático <3

E o cenário! Você com certeza vai sentir todas as sensação da Itália dos anos 80. Desde o calor do verão atéo cheiro do pomar. Um experiência sensorial muito bacana.

Gente, sério! Vocês precisam mesmo ler esse hino de livro, é tudo e mais um pouco: apaixonante e sensual.

Me Chame Pelo Seu Nome

Autor: André Aciman

Ano: 2018

Número de Páginas: 288

Editora: Intrínseca

Minha nota: ?????

Trechos

Você vê a pessoa, mas não a enxerga de verdade, ela simplesmente está por ali. E você fica lutando para aceitar algo que, sem que você soubesse, vinha ganhando forma bem debaixo do seu nariz, trazendo consigo todos os sintomas daquilo que só pode ser chamado de desejo. Como eu não percebi? Sei reconhecer o desejo. Desta vez, no entanto, tinha passado completamente despercebido. Tudo o que eu queria era pele, apenas pele.

Não fomos escritos para um único instrumento; eu não fui, nem você.

Existe uma lei em algum lugar que diz que, quando uma pessoa está completamente apaixonada pela outra, a outra deve inevitavelmente se apaixonar também.

Se não depois, quando?

Às vezes a única maneira de entender um artista é se colocar no lugar dele, estar dentro dele. Então todo o resto flui naturalmente.

É melhor falar ou morrer?

Se ele soubesse, se ao menos soubesse que eu estava dando todas as oportunidades para que ele somasse dois e dois e chegasse a um número maior que o infinito.

Quando a noite se esparramar no céu, conte histórias de pessoas inquietas que sempre acabam sozinhas e odeiam estar sozinhas porque é a sim mesmos que não suportam…

As pessoas que leem se escondem. Escondem quem são. Pessoas que se escondem nem sempre gostam de quem são.

Amei o igualitarismo do momento.

Me chame pelo seu nome e eu vou chamar você pelo meu.

E se a mesma pessoa que causa nosso tormento ao amanhecer é quem o alivia à noite?

Um coração e uma camisa. O coração dele enrolado em uma camisa úmida – como o peixe de Anchise.

Se houver dor, cuide dela, e se houver chama, não a apague, não seja bruto com ela. Arrancamos tanto de nós mesmos para nos curarmos das coisas mais rápido do que deveríamos, que declaramos falência antes mesmo dos trinta e temos menos a oferecer a cada vez que iniciamos algo com alguém novo. A abstinência pode ser uma coisa terrível quando não nos deixa dormir à noite, e ver que as pessoas nos esqueceram antes do que gostaríamos de ser esquecidos não é uma sensação melhor. Mas não sentir nada para não sentir coisa alguma… que desperdício!

Encontramos as estrelas, você e eu. E isso só acontece uma vez na vida.

 

Quer comprar livros com desconto? É só clicar nesse cupom 😉

Jogo De Espelhos
16.02.2018

Posso começar a resenha de Jogo de Espelhos falando palavrão?

Caralho.

Eu sou uma julgadora arrependida. Quando vi que a Cara Delevingne tinha escrito um livro, fiquei empolgada e curiosa, porém um pensamento ficou cutucando minha cabeça: será? Desconfio da capacidade das celebs escrevendo hahaha. Gosto bastante da Cara e foi só ler o prólogo para ter certeza de que sim, ela escreveu mesmo. Mas vale ressaltar que ela não o escreveu sozinha, a autora Rowan Coleman tem dez títulos já publicados e foi co-autora.

Eu tive certeza que queria o livro porque foi publicado pela Intrínseca (não tem erro) e pela sinopse. Olha só:

Naomi, Rose, Leo e Red são adolescentes enfrentando aquela fase em que se relacionar no colégio é tão difícil quanto encarar os próprios problemas. Red tem uma mãe alcoólatra e um pai ausente; o irmão de Leo está na prisão; Rose usa sexo e drogas para mascarar traumas antigos e Naomi se esconde atrás de peruca e maquiagem pesada. 
Quatro adolescentes tão diferentes viram melhores amigos quando são obrigados a formar uma banda. O que era uma tarefa chata vira a famosa e popular Mirror, Mirror. Através da música, eles encontram um caminho para encarar o mundo de outra forma. 
Mas tudo desmorona quando Naomi some misteriosamente e é encontrada, dias depois, entre a vida e a morte. O acidente desestrutura a banda e, consequentemente, a vida de todos. A sólida relação de amizade que eles achavam estar construindo tinha uma rachadura, e tudo o que restam são dúvidas e vazios. O que aconteceu com Naomi? Foi um acidente ou um ataque? Por que ela fugiria e deixaria a banda para trás? Por que esconderia segredos dos seus melhores amigos? Para desvendar o mistério por trás dessa história, Red e os amigos entram em uma investigação que vai desenterrar seus próprios segredos obscuros e fazê-los confrontar a diferença entre o que eles realmente são de verdade e a imagem que passam para o mundo.
Em seu romance de estreia, a modelo e atriz Cara Delevingne revela mais um talento ao apresentar um olhar fresco e sagaz sobre questões atuais da juventude: amizade, bullying, identidade, gênero, transtornos emocionais, a influência perigosa das mídias sociais nas relações e o poder destruidor da imagem.

O que eu sempre falo sobre personagens honestos, minha gente? Eu os amo. E aqui eu me apaixonei por cada um deles. Fui uma adolescente rebelde, sem causa mais fui. Sabe quando você se identifica com os personagens, mesmo que não tenha passado pelas mesmas situações? Caramba, esse povo poderia ter sido meus amigos de escola.

Cara abordou assuntos preocupantes: abandono familiar, estupro, violência, drogas, bullying, redes sociais, identidade de gênero… Tudo de uma forma extremamente verdadeira, porém dinâmica, sem deixar o livro pesado.

Teve um plot twist que até agora estou tentando me recuperar, sem sucesso. O livro é narrado por Red, personagem delicado e cativante. Amei tudo mesmo, o mistério, as resoluções… Só o final que achei um pouco corrido, mas eu já tava tão envolvida que não foi problema nenhum.

Vi muitas resenhas dizendo que é um livro sobre adolescentes para adultos, mas discordo. Precisamos falar abertamente sobre as coisas para que elas deixem de ser um problema.

A maioria das pessoas ficou incomodada com o nome da Cara tão grande na capa, mas eu fiquei super de boa. Gostei muito mesmo e fui surpreendida.

Jogo de Espelhos

Autor: Cara Delevingne e Rowan Coleman

Ano: 2017

Número de Páginas: 304

Editora: Intrínseca

Minha nota: ?????

 

Trechos

Será que ainda gostariam de mim se soubessem tudo a meu respeito, tudo o que eu penso, tudo o que eu desejo?

É você quem decide o que é normal.

É aqui que a vida acontece. Nas coisas que são deixadas para trás.

Sou uma onda, pensei. Mesmo desmoronando, continuo forte.

Mas a verdade é que Rose quer ficar sob os holofotes porque tem medo do escuro. Ela quer todas as atenções, porque tem medo de ficar sozinha. Ela quer ser querida por todos porque, às vezes, lá no fundo ela se odeia.

O problema da Rose é que ela é muito mais frágil do que parece, e às vezes, só às vezes, acho que ela na verdade se esforça para ser magoada.

Tartarugas Até Lá Embaixo
15.01.2018

Oi gente. Essa é a primeira resenha do ano e quero dizer que é um sincerão daqueles, ahhhh e leiam até o final porque tem uma surpresa . Tartarugas Até Lá Embaixo foi escrito pelo John Green, que é um autor que, no geral, eu gosto bastante. Ele ficou seis anos sem publicar e a primeira coisa que me fez ficar com o pé atrás em relação a essa leitura foi o fato de ele ter falado no twitter que tava com bloqueio e não sei mais lá o que e de repente me aparece com esse livro, mas ok, vida que seguiu.

A sinopse me chamou bastante atenção e eu vou deixar aqui para vocês entenderem um pouco mais da minha frustração:

A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).

Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância –, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.

A Aza é sim uma protagonista 10/10. Pensa numa personagem bem trabalhada, até mesmo porque ela foi meio que autobiográfica, já que o próprio JG sofre com TOC e ansiedade. Ele conseguiu passar para o leitor o sofrimento que é a doença, achei mesmo sensacional.

Parte da minha frustração vem dai: uma personagem foda, com um enredo fraco. Eu me senti enganada pela sinopse. Esperei um livro com mais suspense e ação, mas o enredo do tal bilionário desaparecido é só ladainha, um enche linguiça.

Resolvi deixar de lado o tema e tentar focar nas relações. Mas os diálogos da Aza com Davis (o mocinho) foram enfadonhos. Resolvi explorar mais a melhor amiga, mas argh, irritante. E os outros personagens foram realmente coadjuvantes fajutos.

Gostei do final, por isso,achei desnecessárias as 200 páginas anteriores.

Sorry not sorry.

Tartarugas Até Lá Embaixo

Autor: John Green

Ano: 2017

Número de Páginas: 256

Editora: Intrínseca

Minha nota: ? ? ?

P.S.: A nota do livro no Goodreads e no Skoob é muito boa, então talvez a escrota seja eu.

Trechos

A vida é uma história que contam sobre nós, não uma história que escolhemos contar.

A gente acha que é pintor, mas é a tela.

Parta corações, mas não quebre promessas.

Qualquer um pode olhar para você, mas é muito raro encontrar quem veja o mesmo mundo que o seu.

O verdadeiro terror não é ter medo, é não ter escolha senão senti-lo.

A vida é uma sequência de escolhas entre incertezas.

Estar vulnerável é pedir para ser usado.

Somos tanto o fogo quanto a água que o extingue. Somos o narrador, o protagonista e o coadjuvante, O contador da história e a história em sim. Somos alguma coisa de alguém, mas também o nosso eu.

Ao escrever, perceberia que amar não é ma tragédia ou um fracasso, mas um presente.

 

SURPRESA! Até o dia 31 eu vou “esquecer” meu exemplar em algum lugar de Palmas. Será quem vai encontrar?

Simon VS. A Agenda Homo Sapiens
27.03.2016

simon vc a a genda homo sapiens

Oi chuchus lindos do meu coração! Tudo bem com vocês? Estou sendo toda carinhosa porque essa é uma resenha especial. Simon VS. A Agenda Homo Sapiens é o livro mais fofo do ano! E foi a leitura do mês de março do clube do livro (um beijo, suas thuca!)

O Simon tem dezesseis anos e é gay, ninguém sabe disso, mas ele não vê problema em sair do armário, só não quer fazê-lo agora.  Mas dai o Martin – o bobão da escola – flagra uns e-mails que Simon vem trocando com o misterioso e apaixonante Blue. Martin começa a chantageá-lo, e se ele não ajudar o vilãozinho, todo mundo ficará sabendo que ele é gay e isso pode atrapalhar tudo com o Blue.

Simon é obrigado a sair da zona de conforto, e correr atrás daquilo que verdadeiramente importa. só assim ele pode garantir que vai ficar ao lado do garoto mais fofo, confuso e encantador que ele já conheceu.

simon vs a agenda homo sapiens

Já vomitaram arco-iris? Ainda não? Vou dar os motivos agora. Simon VS. A Agenda Homo Sapiens  é simples, leve e engraçado. É muito fácil se apaixonar pelo livro, mas isso não quer dizer que não tenha defeitos. O Simon é irônico, viciado em Oreo e muito engraçado, mas um detalhezinho me irritou: ele é um péssimo melhor amigo. Sério… Eu não senti nenhuma conexão entre ele e os amigos. Mas ok.

Uma coisa que não chega a ser defeito, mas acabou me incomodando é que eu me apaixonei mais pelo Blue do que pelo Simon. Gente, o Blue é o personagem mais legal do ano, não que o Simon não seja, mas é que o Simon é perfeito demais, sabe!? e eu tenho uma quedinha pelos tímidos… Ele é inteligente, sensível, bonito por dentro… Ain! Me apaixonei mesmo!

simon vs a agenda homo sapiens

Ficha do Livro

Título: Simon VS. A Agenda Homo Sapiens

Autor: Becky Albertalli

Editora: Intrínseca

Número de páginas: 272 páginas

♥ Minha nota para o livro: 4 / 5 estrelas

Makes: Extraordinário
17.10.2014

Oi Lindinhas! Eu sou a Talita Paniago e esse é o meu primeiro post para o Antes das Cinco. Na minha descrição ali no ladinho, eu disse que enxergo na maquiagem uma forma de colorir a vida – e agora por que não colorir o mundo mágico dos livros?

Bem, já que essa semana a Luma falou sobre o universo do livro Extraordinário, decidimos fazer essas três Makes Extraordinárias e muito fofas, combinando com as estórias tão singelas. Confira:

10743278_948272341853616_6175022_n

Já ouviram falar de sick lit? Da tradução literal, sick lit é o que podemos chamar de literatura enfermaExtraordinário faz parte desse novo gênero, que procuram relatar a estória de personagens que sofrem com doenças graves.

Mas não ache que os livros  são sempre depressivos e dramáticos. Extraordinário é um livro incrível. Confira a resenha.
10726297_948272031853647_497515450_n

Essa capa e a de cima, são do mesmo livro. Isso mesmo, só as capas mudaram – mas eu gostei mais dessa! O livro conta a história de Auggie, um menino que nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial. Em um manifesto em favor da gentileza, ele enfrenta uma missão nada fácil quando começa a frequentar a escola pela primeira vez: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

Fonte: http://www.intrinseca.com.br

10720900_948272185186965_1789197894_n

 

O Capítulo do Julian só está disponível em e b00k e é bem curtinho, não tem desculpa para não ler, além de ser  leitura obrigatória pra quem já leu Extraordinário. Dá uma olhadinha na resenha.<3

 

Me diverti muito fazendo essas makes e descobrindo mais sobre esses livros fantásticos. Espero que vocês também tenham gostado do meu trabalho!

Beijocas e até a próxima.

O Capítulo Do Julian
15.10.2014

81LWEe0Gf0L._AA1500_-1

Na resenha anterior falei sobre o livro Extraordinário e disse que senti falta de um capítulo para os pais do Auggie, mas nem parei para pensar em um capítulo para o vilãozinho Julian.

Pois bem, o e-book saiu e eu fui comprar com a maior curiosidade. Confesso que por muitas vezes, esqueci que Julian é apenas uma criança e fiquei com muita raiva dele sem nem mesmo pensar em sua versão.

Luma

Ele é um garoto popular, filhinho de papai… Todos na escola querem ser amigos de Julian, mas nem todos tem esse privilégio.

Com a chegada de Auggie e toda a atenção – mesmo que não sendo pelos motivos certos – voltada para ele, Julian fica com ciúmes e faz coisas muito, muito erradas.

O problema é que no final de Extraordinário não se sabe ao certo que fim ele levou, só sabemos de sua mudança de escola e quase não sabemos mais sobre sua vida.

Acontece, que o garoto não passa de uma criança mimada pela mãe – essa sim, pode-se dizer que é uma vilã, mas não consegui enxergar tanta maldade assim – ela só é meio fora da casinha, sabe? e pelo pai banana… Aquele que não tem muita opinião própria.  Enfim, o que salva Julian e seu caráter é a avó maluquinha que conta uma estória linda sobre superação e bullying.

Sem título

Eu acabei entendendo o Julian e gostando bastante da estória. Me fez pensar nas tantas vezes que julgamos uma pessoa sem nem saber o que se passa com ela, mesmo que suas atitudes sejam ruins devemos parar para escutar ambos os lado. Vi que as pessoas se arrependem, embora pedir desculpas não seja algo fácil  a se fazer, nunca é tarde para voltar atrás. Outra coisa importante é que através do relato da avó do Julian notamos que o Bulliyng sempre existiu, só não havia um nome específico para isso.

 

Leitura mais que indicada!Até a próxima, pessoal!

 

Extraordinário
14.10.2014

Qual das duas capas você gosta mais?

 

Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo. –Auggie

O título faz jus ao livro: que leitura extraordinária! Virou um dos meus favoritos porque 1) ganhei de um casal de amigos lindos! 2) comecei ler quando estava meio brigada com uma das minhas melhores amigas.

No meio da tal ‘briga’ nós dissemos coisas horríveis uma para outra, fui me deitar magoada e comecei ler e ai apareceu o seguinte preceito:

Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil.

E depois disso a leitura fluiu tão bem e mudou tanto que é até difícil falar sobre.

A bela estória de AugustAuggiePullman, o garoto de dez anos que tem o rosto deformado por causa de uma combinação de anomalias genéticas é tão cheia de beleza que me emocionei em várias partes.

Auggie está se preparando para encarar a escola pela primeira vez. Tudo é novidade, porque ele sempre havia estudado em casa. Agora ele precisa lidar com os colegas novos e com Julian, o garoto que pratica Bullying contra ele.

Fiquei apaixonada pela diagramação!

O livro é dividido em oito partes: três delas contam a visão do Auggie e o que eu mais gostei é que na maior parte das vezes eu o imaginei como uma criança qualquer, não uma criança – deformada – que – já – passou – por – mais – cirurgias – do – que – um – adulto – qualquer. Um garoto comum, apaixonado por Star Wars e muito inteligente. Ele narra suas limitações, dificuldades e inocência (muito fofo!) e suas gentilezas.

Conhecemos também o ponto de vista da irmã mais velha Via – que virou uma das minhas personagens favoritas por ser muito humana; tem também a Summer, a coleguinha do Auggie no qual ele os referencia como a Bela e a Fera; Jack o melhor amigo do Auggie que é uma criança adorável, mas que em determinado momento pisa na bola; Justin, o namorado da Via e Miranda, melhor amiga da Via e a maior fã do Auggie.

Senti falta do ponto de vista dos pais dele, mas em todas as falas deles eu me apaixonei <3

Os personagens são tão cheios de verdades e tão humanos! Amei de verdade e fiquei imaginando como deve ter sido escrever essa estória que certamente tocou muitos corações.

b_facebook_extraordinario_01b

A boa notícia é que a editora Intrínseca lançou em setembro o livro 365 dias extraordinários, que é o livro de preceitos que o sr. Browne propõe no primeiro dia de aula e vem cheio de pensamentos bacanas. E lançou também O Capítulo do Julian  o menino que maltrata o August na escola, mas esse somente em ebook.

Eu amei todas as referências que o livro traz, realmente uma leitura e tanto!

Para mim, porém, sou apenas eu. Um garoto comum.

Mas se quiserem me dar uma medalha por ser eu mesmo, tudo bem. Aceito. Não destruí a Estrela da Mote, nem nada parecido, mas consegui passar pelo quinto ano. E isso não é fácil, mesmo que você não seja eu.

Ah, ficou tudo bem, entre eu e minha amiga!

Outra boa notícia

Extraordinário, best-seller premiado da autora americana R. J. Palacio, teve os direitos de adaptação para os cinemas adquirido pela Lionsgate. Ainda sem previsão de estreia, o filme está sendo produzido por David Hoberman e Todd Lieberman, a mesma dupla de O vencedor e Os Muppets. O roteiro, inspirado na história comovente de August Pullman, será escrito por Jack Thorne, premiado em 2012 com o Bafta pelas séries The Fades e This Is England ‘88.

Fonte: http://www.intrinseca.com.br/

Só pra matar um pouquinho da curiosidade, confira o Booktrailer:

@lumanunesblog