Antes das Cinco Arquivo para J. A. REDMERSKI - Antes das Cinco
Menu

a morte de sarai

Depois de ler Entre o Agora e o Nunca, J. A. Redmerski rapidamente se tornou uma das minhas escritoras favoritas. Quando vi que ela havia escrito uma espécie de suspense fiquei bastante curiosa, mas dei uma desinteressada depois de ler umas resenhas bem mórbidas. Já tinha esquecido de A Morte de Sarai quando a Tamaria (obrigada pela indicação, chuchu!) me falou sobre ele super empolgada… Não estava nos meus planos comprá-lo, mas em uma visita aleatória a livraria acabou rolando. Deixei ele de lado por um tempo e então comecei ler sem grandes expectativas.

 

Há uma grande diferença entre medo e incerteza, Sarai. Você não tem medo de nada, mas está incerta sobre tudo.

 

Acontece que eu fiquei chocadíssima quando terminei: eu o devorei! A escrita da Redmerski é tão profunda que eu consegui me infiltrar na história: senti medo, asco, conseguia até sentir os cheiros….

a morte de sarai

O livro começa sendo narrado por Sarai: uma garota típica americana que foi levada aos 14 anos pela mãe para viver com o traficante de drogas e mulheres Javier, no México. Após a morte da mãe, Javier se apaixona pela Sarai e a mantém em cativeiro, onde ela não sofre abusos, mas convive com garotas que são espancadas e estupradas. Nove anos vivendo nesse inferno, não fizeram com que Sarai desistisse de fugir.

 

Violência, escuridão e confinamento fazem parte dela a tal ponto que metade do seu ser nunca aprende outra forma de viver.

 

Victor é um assassino que foi ensinado desde criança a matar a sangue frio. Quando ele vai na fortaleza de Javier para negociar um serviço, Sarai vê uma possibilidade de escapar. Usando ameaças e sedução, ela logo descobre que nada afeta Victor. Depois de muitas cenas de tirar o fôlego, Victor se vê fazendo de tudo para ajudar Sarai a conquistar sua tão sonhada liberdade, mas então ela não entende como sua vontade de ser livre de repente dá lugar ao desejo de ficar com Victor para sempre.

a morte de sarai

Gostei muito do Victor, seus silêncios me matavam! Um personagem forte e obscuro. E a Sarai também me conquistou, adoro a instabilidade dela, suas dúvidas e o seu senso de justiça. Preparem-se para entrar em um mundo sombrio e totalmente viciante.

 

Sou disciplina. Sarai é raiva. Tenho consciência de minhas escolhas em todos os momentos. As escolhas de Sarai tem mais consciência dela e ficam escondidas, esperando para decidir por ela, de acordo com a severidade de seu humor, sem nenhuma intenção de lhe deixar qualquer controle consciente sobre a escolha. 

 

O livro possui capítulos intercalados entre Sarai e Victor (amo!) e é bastante intenso. A capa também é fantástica, além de fosca tem uma textura áspera. Estou ansiosa pela continuação que já foi lançado no Brasil como O Retorno de Izabel.

Algumas pessoas leram essa resenha quado eu a escrevi pro Cadê Meu Chapéu?, leram e ficaram loucas por ele! Então corre, porque é realmente muito bom! Depois não esquece de vir aqui no blog e me contar o que achou.

 

na-menteTítulo: A Morte de Sarai (Killing Sarai)

Continua com: O Retorno de Izabel

Número de páginas: 255

Escritora: J. A. Redmerski

Editora: Suma de Letras

Gênero: New Adult/ Drama/ Suspense

Minha nota: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

 

Beijinhos e até a próxima!

0001-20565509

Oi gente!

Eu tenho uma dificuldade imensa para falar sobre os livros que mais gosto… Porque parece que não vou conseguir fazer justiça, sabe? Entre o Agora e o Nunca é um livro maravilhosamente perfeito <3 A começar pela dedicatória:

 

Para amantes e sonhadores, e para quem nunca se sentiu de verdade nem uma coisa nem outra.

 

entre-o-Agora-e-o-Nunca-1 Título: Entre o Agora e o Nunca (The Edge Of Never)

 Continua com: Entre o Agora e o Sempre

 Escritora: J. A. Redmerski

 Número de páginas: 359

 Gênero: New Adult

 Editora: Suma de Letras

 Minha Nota: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

 

Já vou avisando que essa resenha vai ser cheia de quotes porque eu simplesmente não consigo escolher só três ou quatro e que quero dedicá-la pra Nathalia Correa, porque, sei lá, essa história é meio que destinada a ser nossa.

entre

Então, no começo conhecemos a jovem Camryn Bennett (o nome me chamou bastante atenção). A Cam tá meio perdida, parece que tudo de ruim que tinha pra acontecer com ela, aconteceu de uma vez, mas ela se recusa a chorar. A garota simplesmente não consegue sentir nenhuma emoção. E então ela resolve cair na estrada, sem um rumo certo.

 

O que motiva qualquer um de nós fazer as coisas que fazemos, quando no fundo uma parte da gente só que se libertar de tudo?

 

E dai vem o Andrew Parrish, indo visitar o pai que está morrendo de câncer. Ele é inacreditavelmente lindo e sempre diz as melhores coisas, dono de um sorriso cheio de covinhas, ele e Cam começam se entender durante a viagem, criando um vínculo de amizade muito forte… Ah… mas se fosse só isso…

 

Eu… só olho, sem ar, a distância, deixando a voz de Andrew percorrer cada canal e osso do meu corpo. É como um veneno irresistível: estou hipnotizada pelo que ele me faz sentir, embora possa destruir minha alma, mas eu o bebo assim mesmo.

andrew

A Camryn não quer se envolver com ninguém depois que o seu ex namorado morreu em um acidente e o Andrew tem seus próprios segredos. Ambos lutam contra essa atração quase louca, mas nesse percurso cheio de romance e erotismo, eles acabam testando seus limites e explorando seus desejos.

 

O coração sempre vence a razão. O coração, embora seja imprudente, suicida e masoquista de um jeito só seu, sempre ganha a parada. A razão pode ser a melhor opção, mas agora tô cagando para o que a voz da razão tá me dizendo. Agora só quero viver para o momento.

 

Gente, esse livro tem tanto significado pra mim! Eu amo cada página dele, pelo simples fato de ter me identificado com cada uma das falas. Sou muito apaixonada pelo Andrew e pela Camryn. Uma história cheia de ótimas referências musicais e de frases hiper inspiradoras.

Pra quem curte cair na estrada, rock clássico, romance, sexo,  linguagem descolada – muitas vezes achei que os personagens conversavam comigo! – e uma pitada de mitologia grega esse livro é mais que um prato cheio.

 

Eu desvirginei tua inocência, te deixei mais à vontade com tua sexualidade. E isso me enche de tesão.

 

Depois de falar tudo isso, não poderia deixar de colocar essa música para vocês se sentirem ainda mais inspirados a ler esse New Adult apaixonante:

Só quero deixar uma última citação, porque é exatamente o que acontece TODA VEZ que leio esse livro:

Arrepios me estupram.


@blogantesdascinco